Perspectivas no fotojornalismo: 8 dicas para propor pautas de fotojornalismo

porClothilde Goujard
Jan 06 em Freelance

Esta é a quarta parte da nossa série, Perspectivas no Fotojornalismo. Clique para ler a primeira parte, a segunda parte e a terceira parte.

Propor pautas de fotos pode ser uma tarefa complicada e ousada, especialmente para um fotojornalista iniciante.

A IJNet conversou com vários editores de fotos, e também fotojornalistas, para descobrir as melhores dicas e conselhos para ter sucesso ao propor um projeto.

A história é fundamental

Todos os editores entrevistados para a série insistiram não tanto sobre as habilidades técnicas de um fotojornalista, mas sobre as histórias e personagens que retratam.

"Considero as matérias fotográficas exatamente da mesma maneira que consideramos outros tipos de matérias: a história é a prioridade", diz Pauline Eiferman, editora de fotos da Roads & Kingdoms. "Uma ótima fotografia não importa para mim se a história não for boa. O importante é se o fotógrafo conseguiu se profundar e ficar mais próximo da pessoa ou pessoas que estava fotografando."

Tom Hundley, editor sênior do Pulitzer Center on Crisis Reporting, também concorda que o projeto deve ser centrado em uma história, não apenas em fotos.

"Nós não enviamos pessoas, por exemplo para a Síria ou Iraque, com base em especulações de que pode haver imagens legais para fazer", diz Hundley. "Queremos uma história ou um projeto específico."

Seja específico

Paul Moakley, editor de fotos da revista TIME, disse que as propostas que ele recebe muitas vezes são muito gerais.

"Eu tenho muitos fotógrafos escrevendo para mim e dizendo: 'Eu quero ir para Porto Rico, aqui estão minhas fotos; fui lá uma vez'", diz ele. "Existe uma história ou ângulo mais específico que você deseja focar?"

Ele recomenda que fotógrafos se coloquem no lugar dos jornalistas da publicação e sejam específicos para se sobressair entre todas as propostas que recebe.

Busque histórias pouco cobertas

Marie-Pierre Subtil, editora-chefe da 6 Mois Magazine, incentiva fotojornalistas a se destacar e perseguir tópicos diferentes.

Ela lembra de um festival de fotografia quando jornalistas fotográficos vieram lançar seus projetos. Um fotojornalista disse a Marie-Pierre que estava no Rio de Janeiro e propôs um projeto sobre favelas. Foi o terceiro fotojornalista brasileiro a apresentar um projeto sobre esse tema naquele dia.

"Há partes inteiras de sociedades em todo o mundo que não estão sendo cobertas", diz ela.

Faça parcerias com outros jornalistas

Tom disse que o Centro Pulitzer muitas vezes forja parcerias entre repórteres e fotojornalistas para obter matérias ainda melhores.

"Se os fotojornalistas não conseguem fazer a cobertura sozinhos, ajuda fazer parceria com um repórter", diz ele. "Isso muitas vezes facilita o lançamento de uma proposta e a obtenção de uma comissão."

Conheça a publicação para a qual você vai propor a pauta

Paul disse que os fotojornalistas devem realmente pensar se suas fotos se encaixam no tom e foco da publicação.

"Eu recebo muitas propostas que realmente não são para nós", diz ele.

Na Roads & Kingdoms, por exemplo, Pauline explica que suas matérias são criadas de acordo com seu estilo editorial específico.

"Realmente buscamos uma matéria da R&K, que é uma história com muitas camadas", diz ela. "Às vezes, é [sobre] um prato para contar a história de um país. Usa algo bastante focado para explicar uma tendência maior."

Use seus contatos

As fotojornalistas Alex Potter e Allison Shelley dizem que trocam contatos com colegas fotógrafos, pois, com base em suas experiências, a comunidade de fotojornalismo tende a ser amigável.

Alex também diz que participar de eventos da indústria, como workshops e conferências, ajudou a fazer contatos.

"Você pode não conseguir um trabalho a partir daí, mas ajudará a criar relacionamentos", diz ela, acrescentando que a indústria está muito "baseada em conexão" e pode ser uma boa ideia pedir a amigos informações de contato de editores.

"Mesmo se você tiver uma conexão remota, um amigo de um amigo, diga 'Oi, eu estou tentando publicar essa história, mas sou muito novo na indústria e gostaria de fazer algumas conexões. Você teria um e-mail que não se importaria de compartilhar ou você se importaria de me conectar com esse editor?", ela recomenda. "Na maioria das vezes, as pessoas vão dizer sim."

Allison adverte que pode haver uma grande curva de aprendizado ao tentar desenvolver relacionamentos com editores.

Paul aconselha novos freelancers a começar seu projeto antes de enviar uma proposta e a ter algumas fotos para mostrar. Depois que ele trabalha com um freelancer uma vez, o processo de envio de pautas muda um pouco.

"Se você tem um relacionamento com (editores de fotos) e eles sabem como você fotografa, como trabalha e do que é capaz, então é diferente e acho que você pode propor algumas coisas antes de começar a fotografar", ele acrescenta. 

Não espere por trabalho, seja pró-ativo

Allison insiste em "promover o seu próprio trabalho" e não apenas em esperar por tarefas. Quando ela fazia freelance para a Reuters e Getty Images no Haiti, ela enviava duas ou três ideias de pauta no início de cada semana e normalmente uma delas era escolhida.

Quando ela não tinha reportagens, levantava cedo para começar a trabalhar e encontrar inspiração.

"Conhecia gente e tirava fotos bonitas e encontrava dicas para pautas que ia propor. Isso era mais ou menos meu ciclo", ela conta.

Seja curto e prático

Faça com que seja fácil e rápido para um editor de fotos ler sua proposta, aconselha Paul. Ele diz que você pode propor seu projeto em algumas frases.

"Você realmente deve escrever uma tese curta, incluir alguns exemplos de seu trabalho ou se você iniciou o projeto", diz ele. "Inclua algumas imagens que são realmente fortes, que se abrem rapidamente, e faça com que a conversa seja fácil e conveniente."

Quais são suas dicas e conselhos para enviar propostas de fotos a editores? Conte para a gente no IJNet Forum no Facebook!

Imagem sob licença CC no Flickr via home thods