Perguntas que jornalistas devem responder antes de propor uma pauta

por Tom Huang
Aug 29, 2012 em Diversos

Propostas de pauta podem vir de vários jeitos.

(O blog Gangrey.com, tem um bom artigo sobre ideias de pauta -- especialmente para matérias de revista -- aqui.) As propostas podem variar de acordo com a experiência do repórter e quanto tempo o repórter e editor trabalham juntos. Em geral, quanto mais tempo trabalharam juntos, mais podem se comunicar em poucas palavras.

Mas, independentemente da experiência do repórter ou do grau de maturidade da relação editor-repórter, acho que é importante para o repórter ser capaz de responder a algumas perguntas antes de vender a ideia ao seu editor. Estas são perguntas para ambos os repórteres e editores fazerem.

O que desperta a sua curiosidade sobre a história?

Sempre pergunto isso quando um repórter se aproxima de mim com uma ideia. Quero saber se ele está genuinamente interessado na ideia e se sua curiosidade vai levá-lo a procurar as respostas que precisa para contar a história. Quero saber qual é o primeiro aspecto da história que chamou sua atenção. Se o repórter nunca se perder no meio da reportagem, posso lembrá-lo sobre o momento inicial que o intrigou. Finalmente, quero entender como o escritor pensa. Que temas são de interesse natural para ele? De onde tira suas ideias? O que está lendo?

O que há de novo sobre a história e por que você quer contar agora?

Quero que o repórter tenha feito bastante pesquisa para entender onde a história encontra-se no decorrer do uma linha de tempo. Que eventos anteriores levaram à situação atual? Apresente esse contexto. Em seguida, conte o que há de novo sobre a situação. Será que a história reflete uma nova tendência, um ponto de mudança, o início ou o fim de um conflito? Será que precisamos contar a história antes de uma próxima decisão, reunião ou evento?

Esses "ganchos de notícias" podem ser uma limitação e muitas vezes acho que devemos publicar histórias apenas porque são boas histórias. Mas, dado o quão ocupado é o leitor e quantas distrações ele enfrenta, ajuda se uma história -- até mesmo "apenas uma história boa" -- tiver uma razão para ser contada hoje.

Por que será que o leitor ou telespectador irá se interessar pela história?

Sim, eu gosto de saber por que um repórter é curioso sobre uma história. Mas também gosto que ele saia de seu papel de repórter e pense como um leitor ou telespectador. Como podemos enquadrar a história de uma forma que seja relevante para a pessoa média? Esta é a hora quando o repórter considera por que que a história iria capturar a atenção de seus pais, ou, digamos, seus amigos em um bar (ou seus pais em um bar).

Não que seus pais ou amigos sejam pessoas comuns, mas vivem fora da redação (onde às vezes podemos se tornar obcecados por uma história que não é relevante para outros). As pessoas comuns estão mais preocupados com suas finanças, saúde e segurança. E se tiverem filhos, provavelmente se preocuparão com tudo isso, além de educação. A ideia de pauta toca qualquer uma dessas questões?

Para ler o artigo integral (em inglês), clique aqui.

O artigo foi publicado pela primeira vez no Poynter Online, parceiro da IJNet e site do Poynter Institute, uma escola que serve o jornalismo e a democracia há mais de 35 anos. O Poynter oferece notícias e treinamento para qualquer agenda, com orientação individual, seminários presenciais, cursos online, webinários e muito mais. O artigo é traduzido pela IJNet com permissão.

Foto cortesia do Morguefile