O boom de podcasts brasileiros em 2018

por Gustavo Panacioni
Dec 26, 2018 em Jornalismo multimídia
Podcasts brasileiros

Há praticamente 15 anos os primeiros podcasts davam sinal de vida, mas são os últimos dois anos que trazem respiros consideráveis para os podcasts no jornalismo no Brasil, apresentando formatos que parecem consolidar novos e potenciais modelos de negócio no jornalismo.

Diferentes veículos brasileiros já apostavam no podcast como uma nova plataforma antes de 2018. Mas projetos como Presidente da Semana, da Folha de S. Paulo, atualizaram o formato de transmitir informação em áudio, indo além do tradicional radiojornalismo.

"Contar histórias em áudio não é algo feito com muita força no jornalismo brasileiro. Exceto nas rádios, claro", comenta Rodrigo Vizeu, editor-adjunto de Poder da Folha de S. Paulo e idealizador dos podcasts Presidente da Semana e Eleição na Chapa --este último, a mais recente parceria do Spotify com a Folha. "Tenho observando o comportamento de leitores próximos a mim, e percebido como as pessoas têm menos paciência e tempo pra ler. O interesse para informação parece ir cada vez mais para sons e imagens", Vizeu observa.

A ideia de narrar a história de todos os presidentes do Brasil tem influência americana. Em 2016, o Washington Post contou a história dos 44 presidentes americanos até então. O último episódio do podcast, publicado no dia 9 de novembro de 2016 (um dia depois da eleição de Donald Trump), falou do 45º presidente eleito.

Vizeu, que há algum tempo já escrevia sobre episódios históricos, decidiu apostar na versão brasileira do projeto. "Não fizemos pesquisa, mas apostei que o tema era quente pelo timing eleitoral e, acima de tudo, pela minha vontade e capacidade de fazer", diz ele. Junto com Victor Parolin, editor de som do projeto, criaram o formato semanal que fez sucesso. Em dezembro o Presidente da Semana contabilizou 2,4 milhões de downloads desde o lançamento em abril de 2018. O último episódio foi ao ar dois dias depois da eleição do novo presidente brasileiro.

O resultado também repercutiu com o Eleição na Chapa, um projeto diário e em parceria com o Spotify, sobre a corrida eleitoral brasileira. Foram quase 40 episódios até o fim das eleições e a dedicação aos podcasts, que era dividida com a editoria de Poder, passou a ser integral no período do Eleição na Chapa. "A maior percepção é que dá muito mais trabalho do que eu imaginei inicialmente. Comecei trabalhando dois dias a mais por semana, em termos de horas, e no fim da série já estava facilmente em 4 dias", conta Vizeu.

Dedicação integral

Paula Scarpin, diretora da Rádio Piauí, da Revista Piauí, é responsável pela coordenação de três novos projetos na casa em 2018: os podcasts Foro de Teresina, Maria Vai Com As Outras e Tudo O Que Você Não Quer e Não Precisa Saber Sobre a Copa (também conhecido como TOQVNQENOSSC).

Para o Foro de Teresina, principal podcast da casa com edição semanal, a diretora da Rádio Piauí dedica uma rotina intensa.

"Tem dias que eu saio do estúdio às 3 da manhã", Scarpin diz. Além de quase duas horas para gravar, o trabalho maior é o de edição e finalização. "Tem muito detalhe para ficar com um produto bacana, e dessa vez a gente resolveu mesmo investir nisso. Colocamos mais gente no circuito de edição e mixagem, para poder ter uma melhor finalização", explica Scarpim que deixou a posição de 11 anos de reportagem para focar nos podcasts.

Assim como o Presidente da Semana, os podcasts da Piauí começaram como uma aposta. "Tentamos apresentar uma coisa que as pessoas não estão procurando. Algo que vai surpreender pelo método, pela discussão que está trazendo ou forma de apresentação. Não estamos pensando muito no que vai dar certo. É um tiro no escuro", afirma Scarpin que também comenta o envolvimento do público com o Foro de Teresina. "Está aumentando. É até meio impressionante e curioso porque a gente não divulgou muito e, mesmo assim, tem crescido."

2018 parece ser só início. Para 2019 Vizeu, da Folha, fala em novos projetos. A Revista Piauí, além da continuidade do Foro de Teresina, já prevê uma nova temporada do Maria Vai Com As Outras prevista e outros projetos engatilhados.

Mais podcasts para seguir 

Mamilos, projeto independente hospedado no portal B9.

Anticast, também independente criado em 2011 por Ivan Mizanzuk, Marcos Beccari e Rafael Ancara. 

Estadão Notícias, do Estado de S. Paulo.

Ilustríssima Conversa, do caderno da Folha de S. Paulo.

Podcast com Paulo Henrique Amorim, com análises do jornalista.

CBN em série, reunindo as grandes séries de reportagens produzidas pela equipe da CBN.

Que Mundo é Esse, também da CBN e derivação da série de TV da Globo News.

Vida de Jornalista, criado pelo jornalista Rodrigo Alves, comentarista de basquete do SporTV.

Caixa Preta, da parceria entre o VOLT DATA LAB e o InternetLab, com Sérgio Spagnuolo, bolsista Knight do ICFJ.

Podcast do Brio, do fundador e jornalista Breno Costa.

Comunique-se, voltado a profissionais da comunicação.

Tempo Hábil, dica da leitora Jessica Almeida do jornal O Tempo em Belo Horizonte.

Lado B do Rio, dica da leitora Rosa Maria Mattos, em parceria com a Central 3. 

Seu podcast favorito ficou de fora dessa lista? Envie sua sugestão no Fórum da IJNet em Português ou Twitter da IJNet em Português.

 


Gustavo Panacioni é mestre em jornalismo e pesquisador de iniciativas independentes e novos modelos de negócio em jornalismo. Também é fundador do premiosdejornalismo.com e do O Expresso - projeto independente de mídia local que envia por e-mail uma curadoria de notícias sobre Curitiba/PR para os assinantes.

Imagem principal captura de tela dos sites do Foro de Teresina, Eleição na Chapa, Presidente da Semana e Maria Vai com as Outras.