Melhores ferramentas de mídia social para jornalistas em 2013

porMargaret Looney
Dec 20, 2013 em Redes sociais

Não é nenhuma surpresa que as redes sociais estão em ascensão. Por exemplo, 59 por cento dos jornalistas em 15 países usaram o Twitter em 2013, em comparação com 47 por cento no ano passado, de acordo com o Oriella Digital Journalism Study.

Quanto mais jornalistas usam as mídias sociais, mais ferramentas surgem para ajudá-los a pesquisar várias plataformas ao mesmo tempo, mostrar o conteúdo de uma maneira nova, seguir as conversas nas redes sociais por localização e muito mais.

Aqui estão as melhores ferramentas de mídia social que cobrimos esse ano na IJNet:

1) Rebelmouse é um agregador de mídia social que seleciona conteúdo do Twitter, Facebook, Instagram, YouTube, Google Plus, LinkedIn, Tumblr, feeds de RSS e mais, organizado em sua própria página RebelMouse. Você pode filtrar o conteúdo por hashtag, palavra-chave e muito mais, ou incorporar seu feed RebelMouse diretamente no sistema de gerenciamento de conteúdo.

Redações como as da Al Jazeera América, do jornal The Guardian e NBC News usam a ferramenta para apresentar conteúdo gerado pelo usuário, blog ao vivo de notícias de última hora, envolver suas comunidades, construir portfólios pessoais e mostrar um lado mais pessoal da redação. A IJNet também se divertiu ao configurar sua própria página RebelMouse, que reúne automaticamente qualquer oportunidade de treinamento ou post que tuitamos durante o dia. Aprenda mais sobre a ferramenta aqui.

2) Storyful Multisearch é uma ferramenta de código aberto que permite que jornalistas pesquisem em várias plataformas de rede social de uma vez como uma extensão do navegador Google Chrome. Ao fazer uma busca por uma palavra-chave, você receberá os resultados do Twitter, Tumblr, Instagram, Storyful News, Storyful Viral e Spokeo, com cada resultado aparecendo em uma aba diferente. Ainda não oferece busca no Facebook.

Markham Nolan, editor-chefe do serviço de notícias do Storyful, disse que redações proeminentes adotaram a platforma. “Tivemos contatos de jornalistas do Wall Street Journal e Al Jazeera, para citar só alguns, que disseram que tem sido uma grande ajuda”, ele disse à IJNet. Aprenda mais sobre a ferramenta aqui.

3) Geofeedia concentra-se em onde a notícia está acontecendo, organizando mensagens do Twitter, YouTube, Flickr, Picasa ou Instagram em torno de um determinado local. Muitas dessas plataformas oferecem a informação geográfica do usuário como padrão, de modo que cada tuite, post ou foto é muitas vezes acompanhado por coordenadas. A Geofeedia reúne este conteúdo localizado geograficamente para seus assinantes de redação buscarem por cobertura de notícias de última hora, encontrarem fontes na rua ou buscarem conteúdo gerado pelo usuário.

Jornalistas podem pesquisar por localização, palavras-chave, período de tempo, plataforma de rede social, usuário e outros termos, mas os resultados não são filtrados, ou seja, todas as conversas nas redes sociais em torno de uma área específica vão aparecer nos termos de pesquisa, mesmo quando não estão relacionados com a notícia de última hora em questão. Saiba mais sobre a ferramenta aqui.

4) Topsy é uma poderosa ferramenta de busca social, que apresenta um arquivo de todos os tuites desde que o Twitter começou em 2006, com mais de 400 bilhões de itens de conteúdo. Para dar sentido a tudo isso, o Topsy utiliza um sistema de classificação que considera a frequência com que uma parte do conteúdo é citada por outros.

Você também pode pesquisar links, fotos, vídeos, seus principais influenciadores ou tendências sociais em 10 línguas, ou rastrear conteúdo na Web com a ferramenta de análise de Topsy. Para mais informações, clique em aqui.

Margaret Looney, assistente editorial da IJNet, escreve sobre as últimas tendências de mídia, ferramentas de reportagem e recursos de jornalismo.

_Imagem sob licença CC no Flickr via SalFalko_