Manual busca melhorar segurança digital de jornalistas

por Jessica Weiss
Nov 19, 2013 em Diversos

Nos estados mexicanos de Chihuahua, Chiapas e Oaxaca, funcionários públicos são suspeitos de tentar prejudicar a credibilidade de jornalistas através da criação de contas falsas em redes sociais. Recentemente, ataques cibernéticos nas publicações online Lado B e e-consulta buscaram obter arquivos armazenados nos computadores de jornalistas. Outro ciber ataque contra o site do jornal El Mañana em Nuevo Laredo, México, destruiu as contas de usuários que tinham postado críticas ao governo local.

Para ajudar as pessoas e organizações evitarem tais violações de segurança, o Manual de Seguridad Digital y Móvil (Manual de Segurança Digital e Móvel) para jornalistas e blogueiros, escrito por Jorge Luis Sierra, bolsista do ICFJ Knight International Journalism Fellowship oferece conselhos sobre a criação de planos de redução de resico e protocolos de segurança digital e móvel (operações ou medidas para proteger melhor os dados).

O manual, produzido pela Freedom House e o Centro Internacional para Jornalistas, guia jornalistas e repórteres cidadãos na proteção de suas fontes e informações e, também, de sua própria a segurança jurídica, psicológica e física. Suas recomendações são voltadas para jornalistas no México, mas serão aplicáveis a um grande número de jornalistas que falam espanhol.

O manual baseia-se nas experiências de jornalistas mexicanos e blogueiros que participaram de cursos online com Serra sobre segurança digital e móvel, oferecidos pela Freedom House e o ICFJ.

Também ajuda a preencher uma lacuna no conhecimento sobre como se proteger contra as falhas de segurança digitais dos repórteres. Entre outubro e novembro de 2012, Sierra entrevistou 102 jornalistas e blogueiros em 20 estados mexicanos. Os resultados da pesquisa, lançada no início desse ano, sugerem que a maioria dos jornalistas mexicanos e blogueiros que cobrem tópicos altamente sensíveis (como crime, corrupção, violência e direitos humanos) não entendem completamente os riscos e as ameaças que enfrentam quando usam a tecnologia digital e móvel, embora esses assuntos podem torná-los ainda mais vulneráveis. Quase todos tinham "pouco ou nenhum comando de ferramentas de segurança digital", segundo o relatório.

Para responder a estas necessidades, o manual aborda temas de segurança digital específicas para jornalistas, como a proteção da comunicação móvel entre editores, repórteres, correspondentes e despachantes, na reportagem sobre assuntos delicados. Também aborda o uso de ferramentas de criptografia para manter a segurança das informações de risco, proteção contra vírus, malware e ataques cibernéticos, e proteção de informações pessoais em contas de redes sociais.

O manual explica como jornalistas e blogueiros podem determinar o seu nível de risco. Em seguida, mostra como determinar quais as medidas devem tomar para reduzir ou mediar risco, tendo em conta ameaças potenciais e reais ameaças, vulnerabilidades, forças ou capacidades e recursos disponíveis.

Jornalistas e blogueiros também podem acessar uma lista de protocolos de segurança e ferramentas, instruções sobre como navegar online de forma anônima, e sites e recursos online.

Para acessar o manual, clique aqui (em espanhol).

Leitura relacionada:

Falta conhecimento de segurança digital aos repórteres mais vulneráveis ​​do México, diz estudo

Novo mapa digital registra ataques a jornalistas e blogueiros

Jessica Weiss, ex-editora chefe da IJNet, é uma jornalista com base em Buenos Aires

Foto cortesia do usuário do Flick David Bleasdale, sob licença Creative Commons