Jornalista do Mês da IJNet: Papiya Bhattacharya

porIJNet
Sep 5, 2011 em Jornalismo básico

A cada mês, a IJNet apresenta um jornalista internacional que exemplifica a profissão e usa o site para promover sua carreira. Se você gostaria de ser apresentado ou quer nomear uma pessoa, envie um e-mail com uma curta biografia (menos de 150 palavras) e um parágrafo sobre como usa os recursos da IJNet até 20 de setembro aqui.

A jornalista deste mês, Papiya Bhattacharya da Índia, cobre ciência, tecnologia e cultura. Através da IJNet, ela ficou sabendo de uma conferência sobre mudança climática para jornalistas no Nepal e ganhou uma bolsa para participar. Com 14 anos de experiência de jornalismo, Bhattacharya disse que a IJNet a ajudou a ganhar exposição internacional de trabalho.

IJNet: De onde você é?

Papiya Bhattacharya: Moro em Bangalore, Karnataka, Índia há 14 anos. Nasci e cresci em Nagpur, Maharashtra, Índia.

IJNet: Como começou no jornalismo?

PB: Lembro-me de gostar de escrever trabalhos na escola e adorava escrever cartas para o jornal local, o Times Nagpur, e para nossa revista da escola. Eu vim para Bangalore com uma bolsa de pesquisa do Conselho Indiano de Pesquisa Agrícola e trabalhei em minha pesquisa por um ano. Durante esse tempo, candidatei-me a um emprego como jornalista no Deccan Herald, fui bem na a entrevista e me juntou a eles. Passei cinco anos felizes trabalhando para as editorias de ciência, opinião e Web.

IJNet: Como a IJNet lhe ajudou?

PB: A IJNet sempre me deu notícias de workshops acontecendo em todo o mundo. Um deles foi sobre cobertura de mudança climática, em Katmandu, Nepal, realizada em maio de 201 pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, Asia Pacific Environment Center, International Center for Integrated Mountain Developmen e outros.

Fiquei sabendo sobre o workshop através do boletim informativo da IJNet e recebi uma bolsa para participar. A bolsa cobriu os bilhetes de avião, alimentação e alojamento no Nepal e me ajudou a ganhar conhecimentos valiosos sobre as mudanças climáticas. Os organizadores estão agora planejando uma segunda oficina em Bancoc, na Tailândia, para os jornalistas que cobriram o evento...

IJNet: Como você tem ideias de pauta?

PB: Às vezes as ideias pairam em torno de pessoas com quem trabalhamos ou nos cercam. Por exemplo, o meu artigo sobre os trabalhadores de vestuário na área de Bangalore nasceu quando uma senhora que trabalhava como doméstica na minha casa me disse que a filha queria se juntar a uma fábrica de roupas em vez de se tornar empregada doméstica. Isso me fez pensar, porque as fábricas são consideradas lugares terríveis que exploram as pessoas. Eu falei com essas pessoas, donos de fábricas e grandes empresários, e um estudo comparativo entre empregadas domésticas e trabalhadores de vestuário surgiu!

IJNet: Qual é o seu maior orgulho no trabalho até agora?

PB: Um artigo que escrevi a partir do workshop de Katmandu foi publicado como o artigo principal do Deccan Herald em 8 de junho de 2011. Comecei minha carreira de jornalismo para o Deccan e o fato de que nove anos mais tarde este artigo freelance tenha sido escolhido para a edição principal fez eu me sentir bem. Eu inclui todas as questões envolvidas com as mudanças climáticas e as tornei relevantes para a região do sul da Ásia.

IJNet: Que conselho daria a quem aspira ser jornalista?

PB: Vou compartilhar uma dica. Vá fundo -- lendo e encontrando-se com pessoas -- em cada artigo que você escreve. Indo apenas na superfície mostra apenas a casquinha. O verdadeiro problema surge apenas quando se tem uma compreensão profunda de todos os lados. Então, é muito difícil examinar uma situação, boa ou má. Este ponto de vista bem completo é o que deve emergir. Deixe leitores decidir sempre o que é bom ou ruim. Vamos nunca ser ativistas.

Entre em contato com Papiya Bhattacharya pelo e-mail papiyaisATgmail.com.