Jornalismo recarregado: Hacks/Hackers Media Party em Buenos Aires

porMariano Blejman
Sep 2, 2013 em Diversos

Às vezes, os planetas se alinham de maneiras inimagináveis​​.

A mídia precisa se ​​reinventar de acordo com a reinvenção do governo, plataformas e sociedades. O Hacks/Hackers BA Media Party é um exemplo dessa capacidade de reinvenção em vários aspectos.

O número de variáveis ​​que devem ser cumpridos é apenas mensurável por algum supercomputador que ainda não foi criado. Ou seja, a força do software livre, a cultura colaborativa, os padrões abertos, dados abertos, forças de inovação nos meios de comunicação, o carro-chefe da transparência junto à geração de normas, dão a impressão de que tudo está sendo repensado.

Essa é a Media Party 2013: Uma mistura de todas essas forças concentradas em três dias.

O código é o conteúdo

Este ano colidam blocos da inovação mundial em Buenos Aires : todas as presenças internacionais (mais de 30) , 2.100 membros na "base" e centenas de interessados ​​em participar têm a percepção de que o experimento em inovação está chegando aos meios de comunicação globais.

Traremos Jacqui Maher, da equipe de notícias interativo do New York Times para conduzir um workshop incrível sobre como trabalhar com dados de esportes com base em sua experiência nas Olimpíadas. Maher está no olho da inovação, trabalhando com os melhores talentos em jornalismo interativo sob o comando de Aron Pilhofer.

Outro exemplo de inovação é , sem dúvida, o jornal Chicago Tribune, que produziu muitos dos melhores aplicativos de notícias que existem hoje, atualmente a cargo de Mark Ryan. Ryan vai apresentar uma palestra sob o sugestivo títiulo "O código é o conteúdo."

Inovação nos prêmios

Parte desse ecossistema foi gerado pelo Desafio Jornalístico Knight, um concurso de inovação de mídia realizado pela Knight Foundation. Seu formato de prêmios colocou a mídia em foco e fez com que os empresários olhassem para o ecossistema de uma maneira imersa. Os milhares de projetos apresentados nos últimos anos criaram novas ferramentas para lidar com problemas novos. Muitos mexeram com o sistema e também funcionaram como um farol para os empresários.

Um deles é a ferramenta DocumentCloud para depositar e analisar documentos que vem ao evento para lançar sua versão em espanhol. Ted Han, desenvolvedor líder, estará em Buenos Aires junto com outros vencedores do concurso. Entre eles Brian Boyer, criador do Project Panda e agora no comando da área interativa da rádio pública NPR , junto com o amante de jazz Joe Germuska, que deixou o [Chicago Tribune]http://www.chicagotribune.com/) para embarcar no Knight Lab na Universidade Northwestern ao lado de Miranda Mulligan.

Mulligan e Germuska vão conduzir um exercício coletivo para pensar sobre o design de possíveis ferramentas de software com o objetivo de ajudar os jornalistas com suas pesquisas. Outro que vai liderar uma oficina para aplicativosde design é Nuno Vargas da d.school da Universidade de Stanford, que vem com toda a gana para oferecer sua experiência em design do aplicativo.

A abertura e seus passos

A abertura dos governos, o uso e abuso dos dados também será um ponto central do evento deste ano. O contexto é animador: o governo nacional e da cidade os portais de dados do governo nacional e da cidade correm para lançar portais de dados. Também na busca de ferramentas para compreender melhor a relação das pessoas com a transparência do governo participarão Waldo Jaquith, criador do State Decoded , uma ferramenta para " acompanhar " os documentos do governo em suas várias evoluções. Jaquith foi consultor da equipe de governo aberto na Casa Branca e é bolsista do Desafio Jornalístico Knight.

E também virá Shannon DosemagenPublicLab, uma combinação de comunidade e de ferramentas experimentais para investigar problemas ambientais e usar técnicas de baixo custo para mudar a forma como as pessoas olham para o mundo em termos políticos e sociais.

O papel do jornalismo de dados no processo de abertura dos governos

Enquanto dezenas de laboratórios surgiram em volta de dados abertos do governo e aplicativos para "participação cívica", muitas pessoas erroneamente acreditam que simplesmente lançar dados fará com que os governos sejam mais eficientes e que a mera geração de aplicativos civis irá transformar a relação entre os cidadãos e seus governos.

Se há algo que os meios de comunicação fizeram muito bem nos últimos 300 anos é controlar a "contabilidade " dos governos e gerar tração no consumo. O jornalismo ganha triplamente ao trabalhar com dados: está em sua gênese a verificação de informações, acelera a abertura dos governos e gera valor acrescentado.

A criação de demanda

Grande parte do trabalho que estamos fazendo na América Latina com Miguel Paz (Poderopedia), Mariana Santos (Chicas Poderosas, ex-Guardian) e Gustavo Faleiros (Infoamazonia) no programa Knight International Journalism Fellowships do Centro Internacional para Jornalistas tem muito a ver com a geração de ecossistema: quais são as ferramentas, elementos e condições para conseguir mais e melhores equipes de jornalismo de dados nos veículos de comunicação da América Latina. Como repensar o fluxo de geração de conteúdo e o que podemos aprender com outras experiências bem sucedidas na mídia.

Miguel Paz vai fazer um workshop completo sobre como instalar a sua própria Poderopedia, uma rede social que mostra conexões de gente no poder. E Santos irá fazer um grande favor para a comunidade atraindo as mulheres com o lançamento das Chicas Poderosas, uma organização que busca levar mais mulheres ao mundo da tecnologia.

VJ Pixel vem do Brasil para mostrar o MapPress, um aplicativo para trabalhar com mapas em WordPress.

Durante o evento, vamos anunciar para o público local um acelerador de mídia, que investirá US$75.000 em cada empresa, gerando novas mídias.

Mas, além de projetos individuais, o compromisso é gerar algumas novas estruturas para problemas recorrentes: um portal para coletar dados conjuntos da América Latina ( OpenDataLatinoamerica.org), laboratórios de software e aceleradores de mídia para repensar os modelos de negócios. As ideias que funcionam surgiram em dois anos de frustrações e alguns sucessos em todo o movimento crescente do grupo Hacks/ Hackers na América Latina.

Espelho Africano

Bolsista do Knight International Journalism Fellowship, Justin Arenstein estava na media party do ano passado. Ele está dois anos à nossa frente na geração de um ecossistema de inovação . Arenstein conduziu uma série de sessões de formação, redes , fundos e aceleradores. Tendo organizado o African News Innovation Challenge no ano passado, ele traz sete projetos de inovação, desta vez , ligados à rede de Hacks/Hackers no continente africano. O ecossistema crescente em África é uma verdadeira descoberta para nós na América Latina , onde estamos mais acostumados a olhar para cima ( em direção a América do Norte) do que olhar para os lados.

Também nessa linha, o Global Editors Network trará 30 editores e jornalistas para colaborar e , em seguida, mostrar seus projetos e produtos. O Editors' Lab é um conceito também está tomando forma na África. O objetivo: trazer hackatonas para as redações e criar espaços colaborativos, onde não há nenhum, e repensar o objeto no contexto.

Jornalismo de dados é punk

Dan Sinker, diretor do Knight-Mozilla Open News Fellowships, veio no ano passado e agora vai trazer a tropa toda.

Dan é um componente-chave na formação da Media Party. Ele traz consigo uma panelinha muito bacana. Buenos Aires contará com os oito bolsistas do Knight-Mozilla Open News Fellowships que trabalham em grandes agências de notícias em todo o mundo . O foco deste programa de bolsas é gerar padrões livres na mídia para que possam ser replicados e adotados como padrões de produção .

O compromisso da Mozilla para o software livre e a liberdade de escolha tem mais de uma década, mas de alguma forma a cultura de trabalho colaborativo foi lentamente adotado por redações. Mas essas estão finalmente entendendo. Jornalistas que compartilham como trabalham, ensinam suas ideias e aprendem a trabalhar em equipe estão mexendo com o jornalismo.

Bem-vindo à Media Party.

Uma versão do artigo foi publicado originalmente no site da Media Party 2013, realizada de 29 a 31 de agosto pelo grupo Hacks Hackers Buenos Aires.

Mariano Blejman, bolsista do Knight International Journalism Fellowship 2013, é editor e empreendedor de mídia especializado em jornalismo de dados.

O conteúdo de inovação de mídia global relacionado com os projetos e parceiros dos bolsistas do Knight International Journalism Fellowsship na IJNet é apoiado pela John S. and James L. Knight Foundation.

Imagem: Foto da Hacks Hackers Media Party celebrada no ano passado, cortesia de Mariano Blejman