HacksLabs financiará projetos de jornalismo de dados no Chile e México

porIJNet
Dec 29, 2014 em Jornalismo de dados

Três projetos de jornalismo de dados voltados à transparência e prestação de contas -- dois no México e um no Chile-- são os vencedores de um desafio de mídia conduzido pelo HacksLabs, o primeiro acelerador de jornalismo de dados na América Latina. Cada projeto receberá US$25.000 e orientação para concluir e expandir o projeto.

De acordo com a missão do HacksLabs, projetos cívicos combinam tecnologia, jornalismo de dados e participação cidadã, e estão ligados ao movimento mais amplo de dados abertos. Os projetos selecionados por um júri composto por representantes da Avina, Hivos, ICFJ e o Grupo do Banco Mundial, são:

¿Quien Fondeó? (Quem fundou?)

A equipe de dados do El Universal, o jornal de maior circulação no México, vai desenvolver um aplicativo para seguir o rastro do dinheiro dos fundos (doações para não-governamental) que não são auditados, e sobre os quais paira o risco de envolvimento em esquemas de corrupção ou de lavagem de dinheiro. A soma dos dados encontrados vão revelar notícias. Doações e créditos são recursos públicos utilizados pelo governo federal para oferecer aos indivíduos, empresas ou agências sem prestação de contas. Em alguns casos, estas transferências de dinheiro público são entregues por trusts em que os bancos privados atuam como administradores dos fundos para terceiros. A Unidade de Dados do El Universal vai obter informações por meio da Lei de Acesso à Informação Pública Governamental, carregar em uma plataforma online e construir uma ferramenta de análise de redes sociais. As histórias resultantes serão publicadas no El Universal e em parceiros da cadeia de jornais em 31 estados.

¿Cómo Chile-Compra? (Como o Chile Compra?) 

Zoohash, um laboratório de tecnologia em Santiago, Chile, vai trabalhar com CIPER, um centro de jornalismo investigativo chileno, para desenvolver ¿Como Chile Compra?, (Como o Chile Compra?), um aplicativo online para seguir o rastro do dinheiro em gastos do governo, licitações e contratos. A plataforma vai ajudar os jornalistas e cidadãos a detectar conflitos de interesse, corrupção e favoritismo e produzir notícias. CIPER usará a plataforma como base para investigações jornalísticas. O projeto vai analisar o fluxo de dinheiro de órgãos públicos a privados que utilizam visualizações intuitivas mas poderosas, com o objetivo de tornar a informação transparente para os diferentes atores da sociedade.

Um mapa do crime organizado no México: Quem é quem no tráfego de drogas 

Animal Político, o maior diário digital do país, vai desenvolver um mapa do crime organizado no México: um aplicativo de notícias que descreve quem é quem na estrutura dos cartéis de drogas no país por meio de uma investigação que inclui uma visualização de redes e conexões, informação e geolocalização de grupos criminosos por estado, juntamente com um banco de dados com fichas e conexões dos indivíduos e organizações. Animal Político vai trabalhar com a Poderopedia, uma plataforma digital criada e desenvolvida por Miguel Paz durante sua bolsa do Knight International Journalism Fellowship.

O Desafio HacksLabs é apoiado pelo Centro Internacional para Jornalistas (ICFJ, em inglês), John S. and James L. Knight Foundation, o World Bank Group e Knight-Mozilla Open News. O empreendedor de mídia Mariano Blejman fundou o HacksLabs no começo do ano como parte de sua bolsta do ICFJ Knight Fellowship

Foto cortesia de Jeffrey Beall no Flickr sob licença