Facebook permite que jornalistas transmitam vídeos ao vivo

porSam Berkhead
Sep 21, 2015 em Redes sociais

Antes apenas celebridades, atletas, músicos, políticos e outros "influenciadores" poderiam fazer transmissão ao vivo de vídeo (live-streaming) para seus seguidores no Facebook.

Recentemente, no entanto, o Facebook expandiu este recurso para permitir que jornalistas façam o mesmo.

Jornalistas com perfis ou páginas verificadas vão agora poder transmitir conteúdo de vídeo diretamente para seus seguidores via Mentions, um aplicativo independente. Os usuários podem comentar e curtir o vídeo enquanto é transmitido, bem como assistir ao vídeo novamente depois que a transmissão termina.

"Nós queremos fazer que Facebook seja uma experiência melhor para os jornalistas, seja para coleta de notícias ou melhor se conectar com seus leitores ou dirigir a distribuição de seu conteúdo", Vadim Lavrusik, gerente de produto do Mentions, disse à Wired.

É fácil ver por que o Facebook tornou o Mentions disponível para jornalistas. No início deste ano, o Twitter deu manchete ao adquirir o aplicativo de transmissão ao vivo Periscope, que atraiu mais de 10 milhões de usuários nos primeiros quatro meses de seu lançamento. Jornalistas têm usado Perirscope para cobrir tudo, desde a crise europeia de refugiados aos protestos em Baltimore contra a brutalidade policial.

Com quase 1,5 bilhão de usuários na rede social, o Facebook poderia facilmente precipitar a propagação de live-streaming no jornalismo, trazendo notícias ao vivo diretamente para os newsfeeds das pessoas. Agora é ver se jornalistas sem perfis verificados vão gastar o tempo necessário para serem verificados e começarem a usar o Mentions.

Para os jornalistas de renome, como Keir Simmons da NBC News, o Mentions do Facebook é apenas mais uma maneira de cobrir eventos enquanto se desenrolam e dar aos seguidores um olhar dos bastidores do jornalismo.

Para criar um perfil ou página verificada no Facebook — e começar a fazer transmissões ao vivo para seus seguidores — clique aqui.

Imagem sob licença CC no Flickr via Esther Vargas