Estudo aponta a aumento de empregos para formandos em jornalismo nos EUA

por Steve Myers
Aug 16, 2012 em Jornalismo básico

A perspectiva de trabalho está melhor para recém-formados em jornalismo e comunicação, pelo menos a curto prazo.

A porcentagem de graduados que relatou ter encontrado emprego em tempo integral dentro de seis a oito meses subiu para 62,2 por cento em 2011 -- um aumento de quatro pontos porcentuais em um ano e segundo ano de aumento. Contudo, esse número ainda é inferior ao 70,2 por cento de novos graduados que encontraram emprego em 2007.

A parcela desses graduados que dizem que estão "muito satisfeitos" com o trabalho subiu ao ponto mais alto em 25 anos. "Eu acho que, provavelmente, reflete que, se você tem um emprego, você está muito feliz com isso", disse Lee Becker, diretor do Centro James M. Cox Jr. de Treinamento e Pesquisa Internacional de Comunicação em Massa da Universidade da Geórgia.

O estudo também constatou que o salário médio desses novos graduados subiu de US$30.000 a US$31.000, mas, fatorando a inflação, significa quase US$2.000 menos do que em 2000. "E é bem abaixo dos US$ 40.735 que a National Association of College and Employers reportou ser o salário médio inicial para todos os graduados de 2011", observou Mark Jurkowitz do Project for Excellence in Journalism.

Para ler o artigo original (em inglês), clique aqui.

O artigo foi publicado pela primeira vez no Poynter Online, parceiro da IJNet e site do Poynter Institute, uma escola que serve o jornalismo e a democracia há mais de 35 anos. O Poynter oferece notícias e treinamento para qualquer agenda, com orientação individual, seminários presenciais, cursos online, webinários e muito mais. O artigo é traduzido pela IJNet com permissão.

Foto cortesia do Morguefile