Dicas para criar vídeos de 360° e fazer o público mergulhar na reportagem

porShaheryar Popalzai
May 30, 2016 em Jornalismo multimídia
360 Video

Este mês, nós experimentamos criar um vídeo de 360°, o primeiro vídeo de notícias desse tipo no Paquistão. Como bolsista Knight do ICFJ, eu trabalhei em colaboração com The Express Tribune em Karachi para produzir este vídeo inovador.

Muito já foi dito sobre realidade virtual e vídeos de 360​​° na indústria de notícias. Em vez de cobrir o mesmo assunto, vou explicar como nós o fizemos e o que você deve considerar se está prestes a filmar seu próprio vídeo de 360°.

Por que fazemos isso? Porque o vídeo de 360º é uma ferramenta narrativa visual com enorme potencial -- tanto para projetos previstos como notícias ao vivo e urgentes. Fornece aos espectadores uma experiência mais profunda e imersiva, dando uma perspectiva de primeira pessoa em sua matéria.

Para a primeira matéria, planejamos focar em uma série de lugares considerados "patrimônios" em Karachi, a maior cidade do Paquistão. Centenas de patrimônios da cidade raramente são visitados. E, por isso, lançamos a série com um vídeo do Frere Hall, antes uma prefeitura e teatro e agora uma galeria de arte.

Nosso vídeo passou de uma visita ao local a um matéria que mostra o estado deplorável do local hoje. Podemos mostrar muito mais com a perspectiva do vídeo. Todos podem ver o lixo se acumulando na galeria principal, a escada com excrementos de aves e janelas quebradas, o que não conseguiríamos ter mostrado se fosse apenas um vídeo curto.

Para nossa surpresa, o lado técnico da filmagem do vídeo não foi um problema. Ganhar acesso ao local foi o maior obstáculo, que conseguimos superar a tempo.

Não gaste demais em equipamento se você está apenas começando

Se você é iniciante em vídeo de 360º, não gaste demais com plataformas de alta qualidade que custam mais US$5.000. Há uma abundância de opções bem abaixo da marca de US$1.000 que podem fazer vídeos decentes de 360° e até mesmo costurar o vídeo antes de exportar para o computador. Equipamentos mais caros podem filmar vídeos até 4K de resolução, algo a considerar, dependendo da plataforma onde o vídeo vai ser exibido. Câmeras de orçamentos médios e baixos também economizam em custos de pós-produção, pois software de costura pode ser caro.

Você pode pesquisar os sites da Kodak, Giroptic, Ricoh ou VSN para encontrar algo que caiba no seu orçamento.

Outra coisa a lembrar: o dispositivo que apoia a sua câmera sempre aparecerá no vídeo. Para garantir que não apareça muito, obtenha um tripé com uma base de câmera menor, como um tripé que sustenta telefones celulares. Eu não recomendo adicionar uma imagem ou texto onde o tripé aparece, pois distrai o público.

Gravando o vídeo

Saiba o que você está gravando e o que quer mostrar. Algumas tomadas de 360° podem ser complicadas se você está tentando mostrar um objeto ou um local. Use o aplicativo móvel da câmera para planejar sua tomada. Isso também é útil para descobrir a tomada de frente (o que torna fácil editar o vídeo mais tarde).

Fique fora do quadro se você não vai contar ou narrar a história ou narrar. Você quer uma imagem clara ou campo aberto, não uma com você à espreita no fundo.

Não fale perto da câmera, mesmo se está escondido da vista. Isto é importante se não planeja gravar áudio de fundo separadamente. Eu recomendo o uso de áudio externo para áudio de fundo e para a narração. A maioria das câmeras tem microfones embutidos ruins.

Editando

Diferentes câmeras lidam com vídeos de forma diferente. A câmera que usamos costurou o vídeo para nós e converteu-o pronto para o YouTube e Facebook através de seu próprio software. Mas tivemos que editar, adicionar áudio e títulos. Usamos Final Cut Pro para editar o vídeo e depois codificá-lo para visualização de 360° com o aplicativo 360° Metadata do YouTube.

Títulos funcionam bem, mas evite legendas ou qualquer outro texto. Texto grande fica bem, mas também cobre a maior parte da imagem quando o vídeo é esticado na pós-produção. O texto menor não é legível por causa disso. Use narrações claras em vez de legendas.

Publicando: escolhendo uma plataforma

Escolher onde carregar o vídeo faz a diferença. Ambos Facebook e YouTube suportam móvel e um grande trabalho.

O Google Cardboard é uma grande ferramenta de visualização, mas não tem suporte para iOS ainda. Isso é algo que você deve ter em mente antes de assumir que seus telespectadores terão um dispositivo no qual eles podem assistir ao vídeo.

Apesar das instruções muito claras no vídeo do Facebook e YouTube, não assuma que seus telespectadores vão saber como assistir ao vídeo. Uma nota escrita na descrição do vídeo vai ajudar.

Como eu mencionei acima, Cardboard é uma ferramenta ótima e barata. Guie seu público sobre como usar Cardboard também. Ou seja, foque no ponto central até a desfocagem ir embora, em seguida, continue assistindo para obter uma experiência boa.

O YouTube começou recentemente a implantar apoio ao streaming ao vivo de vídeos de 360°. Isto é um divisor de águas para as equipes de notícias em todo o mundo.

A realidade virtual e os vídeos de 360​​° são ótimas ferramentas de narrativa visual. O New York Times, USA Today e BBC, entre outros, já mostraram o potencial que existe para o vídeo de 360°, com alguns até mesmo lançando seus próprios aplicativos. O Guardian fez uma matéria excelente usando realidade virtual.

Agora é um bom momento para se juntar a eles e dar esse salto.

Imagens cortesia de Shaheryar Popalzai