Destaques de reportagens da Copa do Mundo Feminina de 2019

porTaylor Mulcahey
Jul 10, 2019 em Diversidade
Bola de futebol

Durante a Copa do Mundo Masculina da FIFA de 2018, publicamos uma série de artigos em colaboração com nossos parceiros no Hack Pack. Mas este ano, quando as jogadoras de futebol feminino assumiram o centro do gramado, não publicamos um único artigo. Os esportes das mulheres —e sua falta de apoio por parte de países, clubes, mídia e fãs— têm sido um símbolo da grande luta pela igualdade em todo o mundo. Então, temos que nos perguntar: somos o problema?

Embora não tenhamos postado, com certeza estamos assistindo —absortos, como muitos fãs, nos jogos de roer as unhas, nas batalhas políticas e sociais e, é claro, no conteúdo nas redes sociais.

O que mais nos impressionou (além da habilidade e capacidade atlética das jogadoras, é claro) é a excelente reportagem em torno do evento. Abaixo, reunimos cinco destaques da cobertura da Copa do Mundo Feminina de 2019.

Ensaio fotográfico do Goal Click

O Goal Click é um projeto de fotografia global que permite que jogadores de futebol de todo o mundo compartilhem suas histórias. Eles enviam câmeras analógicas para as pessoas e pedem que capturem seus próprios mundos no que se refere ao futebol. No final de 2018, eles enviaram essas câmeras para as jogadoras de futebol feminino, pedindo que documentassem suas vidas antes do torneio da Copa do Mundo de 2019 na França.

As fotos resultantes mostram banhos de gelo, treinos na chuva e visitas à sala de musculação, além de eventos sociais, comemorações e camaradagem. As fotógrafas são convidadas a fazer uma série de perguntas para acompanhar suas fotos, permitindo que compartilhem os desafios que enfrentam como mulheres futebolistas em seus países.

O Goal Click desfaz as linhas entre arte e reportagem, permitindo que as fontes contem histórias pessoais através das fotos íntimas que capturam.

Retratos de dados da BBC

O que é jornalismo esportivo sem dados? Sabemos que há muitas pessoas reunindo estatísticas, mas gostamos desse visual simples e direto da BBC em tópicos como audiência, pontuações, prêmios em dinheiro, patrocínio e mais. A equipe aproveita uma série de outras fontes para fornecer um panorama rápido das estatísticas imperdíveis do torneio.

Perfil de Megan e Brian Rapinoe

Depois de vencer a Copa do Mundo Feminina de 2019, a integrante da equipe dos Estados Unidos, Megan Rapinoe, publicou uma mensagem de aniversário a seu irmão Brian. A história por trás dessa mensagem é mais complicada do que parece, como conta Gwendolyn Oxenham em um perfil publicado pela ESPN

O perfil foca em Brian, que passou a maior parte de sua vida adulta na prisão. Oxenham usa as mensagens de texto entre os irmãos, bem como entrevistas com os dois, para contar uma história sobre vício, prisão, racismo, recuperação —e futebol.

Entendendo a disparidade de salários

As mulheres estão competindo por muito mais do que um troféu, estão lutando pela igualdade. Após a vitória dos Estados Unidos, sobre a Holanda, torcedores se levantaram para gritar “Equal Pay! “Equal Pay! Equal Pay!” [salário igual, em tradução livre].

Políticos juntaram-se ao coro de vozes pedindo melhor compensação, incluindo a senadora Kamala Harris, a senadora Elizabeth Warren, Hillary Clinton e outras. A Equipe Nacional Feminina dos Estados Unidos entrou com uma ação coletiva recentemente alegando que não são tratadas da mesma maneira que a Seleção Nacional Masculina do país. Algumas dessas questões são apresentadas em um artigo de Julie Kliegman para The Ringer.

Fact-checking a disparidade salarial

Há um pouco mais sobre a controvérsia das diferenças salariais, de acordo com os verificadores de fatos do Washington Post. Para entender melhor a disparidade, incluindo como a receita e os bônus são determinados, você não pode perder este artigo de Meg Kelly do Post.

Prefere suas verificações de fatos em formato de vídeo? Confira aqui este explicador também do Post.

Acompanhando a estética do 'mulher futebolista'

The Goods da Vox é uma seção dedicada ao consumo de produtos e até eles mesmos aproveitaram o ângulo da Copa do Mundo. A repórter Kaitlyn Tiffany explica o que ela (e eu) argumentamos ser o estilo mais legal de todos os tempos: garota de futebol.

Tiffany cobre tudo, desde definir a estética até traçar suas origens, e termina com um olhar sobre como a indústria da moda notoriamente negligencia o futebol feminino há muitos anos, ao mesmo tempo em que incorpora a aparência inspirada no futebol masculino.

Se você quiser entender um pouco mais sobre por que essas jogadoras parecem tão legais, ao mesmo tempo em que aborda tópicos maiores, como disparidade salarial, direitos LGBTQ+ e mais, não deve perder a matéria da Tiffany.

Bônus: O artigo inclui referências a "Driblando o Destino", "10 Coisas que Eu Odeio em Você" e mais filmes legais de “garotas do futebol”.


Compartilhe conosco algumas das suas reportagens favoritas da Copa do Mundo Feminina de 2019 no Twitter e no Facebook, marcando a IJNet ou usando a hashtag #IJNet. Queremos saber sobre as reportagens que foram publicadas no seu país e em outros idiomas além do inglês.

Imagem principal sob licença CC no Unsplash via Vienna Reyes