Como jornalistas podem manter seus celulares seguros

porJorge Luis Sierra
Jun 18, 2013 em Segurança do jornalista

Os telefones móveis estão se tornando uma ferramenta essencial para os jornalistas, que os utilizam para entrevistas, entrar em contato com editores e fontes, tirar fotos e guardar arquivos importantes relacionados com as suas matérias. Seu tamanho pequeno, peso leve, força e flexibilidade significam que batem os desktops ou laptops em utilidade.

Mas as características que tornam o telefone de um repórter uma ferramenta tão útil também podem torná-lo um alvo atraente para governos, hackers e criminosos.

Repórteres, especialmente aqueles que trabalham em zonas de alto risco ou em ambientes repressivos sob líderes corruptos, devem tomar precauções para evitar espionagem, bem como a perda e o roubo de seus dispositivos.

Quando alguém rouba ou espia nos equipamentos móveis de um jornalista, ele ou ela é suscetível de ter acesso a todo o diretório de fontes do repórter. Em termos profissionais, isso é uma má notícia. Muitos repórteres concordam em proteger o anonimato de suas fontes e não revelar a sua identidade nas matérias que publicam. Mas essa promessa não pode ser mantida se o repórter perde o controle do seu dispositivo móvel.

Essa perda também pode colocar em risco a segurança de sua família, se, por algum motivo, o jornalista usa e armazena informações pessoais, fotos de amigos e parentes ou mantém conversas com eles via mensagens de texto.

Todos os jornalistas devem tomar várias precauções relacionadas com seus telefones celulares:

Minimizar os danos que podem ocorrer em caso de roubo ou perda.

Acompanhe e controle cuidadosamente todas as informações que você usa em equipamentos móveis. Evite fazer o upload de informações confidenciais em um telefone que está em constante risco de furto ou roubo.

Alguns jornalistas que viajam em regiões frequentadas por militares, polícia, grupos insurgentes ou criminosos devem tomar cuidado extra para manter os telefones "limpos" e desprovidos de arquivos confidenciais. Também devem considerar a utilização de telefones separados para uso pessoal e profissional.

Outros jornalistas devem simplesmente proteger seus telefones com medidas de segurança, tais como um número de identificação pessoal ou padrão para iniciar o telefone. Aqui está um tutorial para ensinar você como fazer isso:

No guia do Security in a Box, você vai encontrar boas dicas para criptografar seu telefone e adicionar medidas para proteger sua privacidade.

Proteja-se de espionagem.

Aqueles que querem ver o que um jornalista tem em seu telefone não precisam realmente roubar o dispositivo. O roubo de dados eletrônico é hoje um dos maiores riscos que os jornalistas enfrentam. Considere criptografar o dispositivo, se puder. Se você usar um dispositivo Android que usa um sistema operacional Gingerbread mais recente (OS 2, 3, 4 ou mais recente), o telefone pode ser totalmente criptografado. Este artigo dá boas recomendações sobre como e por que criptografar um telefone.

Abaigeal Quinn escreveu sobre sinais de que seu telefone celular está sendo espionado. Entre eles:

  • A queda significativa no volume de chamadas recebidas ou você tem problemas para discar números.
  • A bateria se esgote mais rapidamente do que o normal.
  • Seu telefone está muito quente, mesmo que você não esteve usando-o.
  • Se manter o telefone junto a um alto-falante, o som breve e agudo que você ouve tem a duração de vários segundos.
  • O telefone é ligado mesmo não estando em uso.
  • O telefone emite ruídos estranhos quando usado.

Aqui estão recursos adicionais para proteger sua privacidade:

Também podemos recorrer à tecnologia criada por grupos sem fins lucrativos que trabalham para defender a privacidade. As seguintes são algumas ferramentas que protegem a privacidade nos telefones celulares e tabletes.

Dispositivos com sistema operativo Android:

Orbot: Conecta o dispositivo móvel com um servidor proxy que oculta o IP do aparelho.

Orweb: Navegador que, conectado a Orbot, permite a navegação anônima na Internet.

Gibberbot: Encripta o conteúdo de mensagens instantâneos com dispositivos que tenham a mesma tecnologia.

Dispositivos iPhone e iPad

Covert Browser: É o navegador na loja a Apple para entrar na rede anônima e privada de Tor.

ChatSecure: Um aplicativo para dispositivos Apple para participar de chats com segurança.

Jorge Luis Sierra é um bolsista do Knight International Journalism Fellowship, desenvolvendo ferramentas digitais para cidadãos e jornalistas mapearem crime e corrupção. Seu foco é segurança digital e móvel.

Imagem: Sob licença CC no Flickr, cortesia de Yutaka Tsutano