Como descobrir o potencial de uma reportagem

por Jaldeep Katwala
Sep 8, 2014 em Jornalismo básico

Como distinguir fatos de ficção? Como você sabe quando está no caminho certo?

A seguir estão algumas dicas para ajudar a garantir que você encontrou uma notícia de verdade e desenterrar fatos importantes:

1: É interessante?

Este é talvez o critério mais importante. Se não for interessante, por que contar? Sua história deve fazer o espectador, ouvinte ou leitor parar no meio do caminho, desviar seu olhos da comida, e querer contar para outra pessoa. Um bom teste é se um de seus colegas diz: "e daí?" - se você não pode responder a essa pergunta, então a história pode não ser tão boa quanto você pensava.

Se não for interessante, por que contar?

2: Você sabia disso antes?

Se você consome notícias vorazmente --e você deve-- vai saber se a sua história é nova e original. Alguém na sua redação pode ajudar; muitas vezes há alguém com uma memória fantástica para cada matéria que já foi feita. Se não ouviram a história antes, há chance de ser algo novo. Portanto, não tenha medo de perguntar ao redor para descobrir se alguém tem mais alguma informação. Você pode acabar com alguns ângulos novos importantes a seguir.

Algumas histórias circulam por aí algumas vezes.

3: Alguém quer mantê-lo quieto?

Depois de ter feito toda a sua investigação preparatória, você estará pronto para marcar as entrevistas. No entanto, você pode achar que o entrevistado principal evita atender a suas chamadas, recusa-se a participar ou não responde às suas perguntas. Se for esse o caso, pode ser que a pessoa no centro da história tenha algo a temer ou a esconder. Claro, isso não é prova de que a história é verdadeira, nem é prova de que você está no caminho certo. Podem ter muitas razões pelas quais a pessoa quer permanecer em silêncio. No entanto, isso pode indicar que há questões que você precisa investigar mais. Não tire conclusões precipitadas.

Se alguém não retorna suas ligações, pode estar escondendo uma história.

4: Quantas pessoas irá afetar?

Pode ser a maior história do mundo, mas pode afetar apenas uma pessoa. Isso não exclui de contar a história, mas quanto mais pessoas a sua história afeta, mais provável é que seja de interesse para o seu público. E mesmo que afete apenas uma pessoa, seu trabalho é pensar e explicar se poderia ou não ter qualquer significado mais amplo. Normalmente existem outras pessoas em situação semelhante que podem se beneficiar de sua pesquisa e averiguação.

A história é interesse o suficiente para as pessoas?

5: A história é difícil de contar?

Uma boa regra geral, com base nas centenas de histórias que eu cobri no meu tempo, é que quanto mais difícil é contar a história, mais provável é que seja uma grande história. Se fosse fácil de contar, alguém provavelmente já teria contado. Sublinha-se também a importância de não desistir tão facilmente. Ao cobrir uma história importante, você pode chegar a um ponto em que sente vontade de desistir. Não desista. Não há problema em se afastar da história por algum tempo, mas tente descobrir por que está sendo difícil, porque esse bloqueio pode ser o cerne da história.

Se a história é difícil de contar, provavelmente vale a pena contar.

6: A história faz sentido?

Quanto mais incrível for a história e mais distante da realidade, como você sabe, mais provável é que a história que você tem simplesmente não é verdade. Isso não significa que tais histórias existam, isso significa apenas que você deve ser extremamente seguro de seus fatos antes de publicar ou transmitir a matéria. Muitas vezes, as melhores histórias são simplesmente a peça de um quebra-cabeça que faltava --dão sentido ao que já era conhecido antes.

Uma história que não resiste a verificação não é uma matéria.

7: Outros poderão acompanhar a história?

Se é realmente um grande artigo de jornalismo original, seus concorrentes vão acompanhar a história com a sua própria visão. Se é um excelente artigo de jornalismo, políticos, ativistas, formadores de opinião e aqueles que têm interesse no assunto, vão fazer alguma coisa. É por isso que você deve sempre ter o seu próprio plano de seguimento. Se, quando você publica a história, outros seguem, então você precisa estar à frente do jogo novamente. Anotar alguns ângulos de seguimento é sempre uma boa ideia (ver ponto seguinte).

Grandes histórias frequentemente geram matérias de seguimento.

8: Haverá histórias relacionadas?

Uma história muito boa terá pelo menos três histórias relacionadas para você seguir. Você tem uma vantagem sobre seus concorrentes, então deve antecipar aonde a história vai ainda antes de ser publicada ou transmitida. No entanto, quando a sua história é publicada, eles também estarão olhando para esse novo ângulo a seguir para que se apropriem da história. Você precisa estar à frente deles. Ao fazer a sua averiguação inicial, anote um plano de história com ideias de como poderia desenvolver e quem são os outros personagens da história. Encontre as pessoas, fale com elas, recolha o material mais exclusivo e desenvolva novos ângulos. Seu trabalho é manter o ritmo.

A maioria das histórias vai continuar a se desenvolver; certifique-se que você está pronto.

9: Alguma coisa vai mudar por causa de sua matéria?

Se você contar a sua história, alguma coisa vai ser diferente? A vida de outras pessoas vai melhorar ou piorar? Se melhorar, isso é um bom sinal. Se tende a piorar para muitas pessoas, pense novamente sobre a possibilidade de publicar ou transmitir a matéria. Isso tudo é parte da avaliação do interesse público, o que pode ajudar a decidir a força e a validade de sua matéria.

Que impacto a sua matéria deverá ter?

10: Você ainda poderá abordar seus contatos?

Quando você contar a história, ainda será capaz de olhar nos olhos de seus contatos e eles ainda falarão com você? Com uma história controversa bem contada e justa, você ganha respeito. Com uma história controversa mal contada e injusta, vai tornar mais difícil para você trabalhar como jornalista. Isso não significa que você deve fazer concessões ou diluir seu material. Mas o que isso significa é que você precisa ser justo, honesto, objetivo, imparcial e preciso em tudo que faz. Veja os módulos de treinamento na nossa seção de ética editorial (em inglês).

Pode não valer a pena perder contatos valiosos por causa de uma história --mas, por outro lado...

Jaldeep Katwala é jornalista desde 1985. Ele trabalhou para a BBC, Channel 4 News e Radio Netherlands. Ele também ensinou jornalismo e liderou diversos projetos de desenvolvimento de mídia e cursos de formação em todo o mundo.

Este artigo foi escrito originalmente para o Media Helping Media (MHM) e publicado com permissão na IJNet.

O Media Helping Media é um site de informação de treinamento que dispōe de recursos gratuitos para jornalistas que trabalham em países em transição, pós-conflito e regiões onde a liberdade de expressāo e a liberdade de imprensa é ameaçada.

Foto cortesia de gerlos via Flickr sob licença Creative Commons