Cinco ferramentas do SXSW que podem mudar a forma de reunir e compartilhar notícias

porBen Colmery
Mar 29, 2013 em Jornalismo digital

Nos últimos dois anos, tenho ido para o festival South By Southwest Interactive (SXSW) em busca de ideias e ferramentas para usar no jornalismo. O que eu procuro são novas formas de melhorar o acesso a informação de qualidade e ajudar mais pessoas a se tornarem parte do ecossistema de notícias.

Em muitos países, as pessoas têm pouco ou nenhum acesso a aplicativos em seus próprios idiomas sobre como usar a tecnologia para análise e compartilhamento de informação e hardware que muitos no SXSW tomam por garantido.

Aqui estão alguns aplicativos e plataformas apresentados no SXSW que podem ajudar mais pessoas a obterem as informações que precisam:

Plotter

Finalmente, uma rede social móvel para compartilhar mapas. O aplicativo sincroniza com outras mídias sociais, como o Facebook. Isso permite que fazer crowdsource de recomendações de lugares facilmente.

E se você vai cobrir uma matéria e não tem certeza aonde ir? Pessoas no Facebook podem apontar o caminho. Jornalistas podem criar mapas especiais para melhorar suas matérias. Imagine poder carregar dados, fotos e vídeos coletados ou associados a um determinado local.

Imediatamente penso em como o aplicativo pode ser usado no InfoAmazonia, a plataforma de mapas online de dados dados ambientais da floresta amazônica dirigida por Gustavo Faleiros, bolsista do Knight International Journalism Fellowship. Faleiros está planejando o lançamento de uma editoria do cidadão no InfoAmazonia este ano. Talvez o InfoAmazonia possa usar Plotter para recolher dados do público em questões como água e qualidade do ar.

Koozoo

Com um smartphone, os usuários podem mostrar o que está acontecendo agora em um local particular. O vídeo de demonstração do Koozoo foca em atrações turísticas e de entretenimento. Mas os jornalistas podem usá-lo para mostrar imagens ao vivo como, por exemplo, um governo se desintegrando ou uma corporação devastando o meio ambiente.

Koozoo nos deixa contar e personalizar histórias que não poderíamos ver de outra forma, de maneiras que outros aplicativos criados em torno de compartilhamentos sociais, em vez de focados na localização, não conseguem fazer. Pode ser ainda mais poderoso se puder ser combinado com Plotter.

OneTok

Desenvolvedores podem usar OneTok para adicionar controle de reconhecimento de voz em seus aplicativos. Os usuários podem, então, controlar os aplicativos com a voz. Isso pode ser útil para usuários como pessoas de comunidades rurais e tribais atendidos pelo serviço móvel notícia CGNet Swara na Índia, que não sabem ler.

Permitir que as pessoas controlem um telefone falando nele pode ser a chave para desvendar o seu poder em locais onde as pessoas confiam na comunicação verbal, não escrita. Mas primeiro as ferramentas têm que ser adaptadas para idiomas locais.

Apiphany

Este recurso permite às organizações criarem e hospedarem interfaces de programação de aplicativos (APIs) para seus produtos em nuvem (por uma taxa). Usando APIs, as pessoas podem usar seus dados para criar seus próprios programas, aplicativos, gráficos e ferramentas.

Em sua apresentação no SXSW, Justin Arenstein, bolsista do Knight, disse que as empresas de mídia deveriam pensar em suas notícias como uma API. Talvez Apiphany seja uma solução que possa tornar isso mais fácil de realizar.

Vyclone

Tudo o que envolve "o povo" na criação de conteúdo chama a minha atenção. Vyclone sincroniza vídeos que são feitos e enviados de uma certa proximidade física (como de um determinado evento) com sobreposição de horários de início e término. A ferramenta reúne as imagens, oferecendo diversos ângulos do mesmo momento cronológico.

Imagem de página via Vyclone

Ben Colmery é vice-diretor do Knight International Journalism Fellowships no Centro Internacional para Jornalistas.

A IJNet é produzida pelo Centro Internacional para Jornalistas e apoiada por doadores, incluindo a John S. and James L. Knight Foundation.