Associação de jornalismo pretende transformar reportagem de saúde na Etiópia

porJessica Weiss
Mar 11, 2013 em Temas especializados

Na Etiópia, onde jornalistas geralmente almejam cobrir economia, crime e entretenimento, um novo grupo de 100 jornalistas e comunicadores está destacando um tema muitas vezes negligenciado: saúde.

A primeira organização de jornalistas de saúde na Etiópia, a Iniciativa Addis Ababa de Jornalistas de Saúde, foi criada no mês passado com o objetivo de aumentar a qualidade e amplitude da cobertura de saúde no país. O grupo vai criar recursos, treinamento e fóruns de discussão online para jornalistas de saúde e profissionais de saúde poderem se conectar melhor e aprender um do outro.

A jornalista de rádio e treinadora de mídia Elsabet Samuel, que ajudou a organizar o coletivo como parte de sua bolsa do Knight International Journalism Fellowship, falou com a IJNet sobre por que uma melhor cobertura de saúde é tão importante na Etiópia e suas esperanças para a nova associação.

IJNet : Por que você viu a necessidade de formar a Iniciativa Addis Ababa de Jornalistas de Saúde?

Elsabet Samuel: A mídia na Etiópia permitir à sociedade tomar decisões informadas que moldam suas vidas. No entanto, fatos relacionados com a saúde podem ser distorcidos quando os jornalistas não têm as habilidades de reportagem básica em saúde. Assim, eu vi a necessidade de ajudar os jornalistas a divulgarem a informações de saúde de qualidade, precisas e práticas para o público, a fim de melhorar a vida das pessoas na Etiópia. Isso só pode ser feito efetivamente através de treinamentos contínuo de jornalistas.

IJNet: Que problemas a associação visa superar?

ES: Em primeiro lugar, a falta de informação e especialização de saúde de qualidade. Eu acredito que a formação da associação vai ajudar a incentivar padrões de reportagem de saúde que serão incentivados através de treinamentos e orientação. Na maioria das vezes, os jornalistas [não procuram] especialização em reportagem de saúde, porque geralmente pensam que trabalhar em editorias diferentes como crime, economia e entretenimento pode dar-lhes mais fama e dinheiro. A formação da Iniciativa irá encorajar mais jornalistas na cobertura de problemas de saúde.

Além disso, há a falta de acesso a documentos governamentais, tomadores de decisão e especialistas. A iniciativa irá criar oportunidades para membros acessarem e compartilharem documentos, análises de especialistas e opiniões dos tomadores de decisão para que cubram mais temas relacionados com política de saúde que são negligenciados pela mídia. A associação também vai ajudar os jornalistas no compartilhamento de informações e experiências pessoais sobre como começar a cobrir questões ignoradas de saúde que estão se tornando prevalentes no país, como a saúde mental e tuberculose multi-resistente.

IJNet: Como vocês vão alcançar seus objetivos?

ES: Através de três formas principais:

• Desenvolvendo a capacidade profissional dos membros através de treinamentos e fóruns para compartilhar experiências.

• Fornecendo aos membros recursos e fóruns de discussão online para facilitar o diálogo, promover a aprendizagem participativa e conjunta, e compartilhar experiências entre os jornalistas de saúde e especialistas em saúde.

• Incentivando os jornalistas a informarem sobre questões de saúde cruciais.

Foto: O preparo de uma vacina contra o sarampo na Etiópia, cortesia da DFID - UK Department for International Development, sob licença Creative Commons