6 dicas para aprender a fazer vídeos de 360 graus

porDeniz Ergürel
Jun 16 em Jornalismo multimídia

Grandes organizações de mídia como o New York TimesWall Street Journal ou Associated Press têm feito experiências com esta nova tecnologia por um tempo, e mais redações estão a caminho. É por isso que eu decidi comprar uma câmera de 360 graus e ver o que eu próprio poderia fazer como jornalista. Aqui está o que aprendi até agora...

O equipamento

Depois de testar diferentes equipamentos e ler vários comentários, decidi comprar uma câmera Ricoh Theta S.

Cheguei a esta decisão por duas razões:

- Melhor relação de preço/desempenho para um orçamento baixo. Eu não tinha um grande orçamento, mas estava curioso sobre a descoberta desta tecnologia. Em 2016, se você quer uma plataforma de 360 ​​graus profissional, precisa gastar no mínimo US$3.000. A Ricoh Theta S custa apenas US$350, o que é um valor acessível para uma experimentação.

- Visão esférica de 360 ​​graus. A Ricoh Theta S tem duas lentes e oferece um campo de vista de 190 graus por lente que dá um vídeo pleno esférico de 360 ​​graus. Algumas outras câmeras na mesma faixa de preço oferecem uma vista de 240 graus, que não é esférica, pois aparece um círculo preto na parte inferior da imagem que eu acho muito chato.

Aqui está uma revisão rápida:

Prós:

a) A Ricoh Theta S cabe facilmente na palma da mão. Você pode transportá-la confortavelmente em sua bolsa ou no bolso.

b) É uma câmera compacta. É muito simples e fácil de usar.

c) Pode capturar panoramas em 360 graus completos de uma só vez, e a costura é feita automaticamente.

Contras:

a) A qualidade da imagem do vídeo é modesta. Não tem 4K; não espere produzir imagens de vídeo de alta qualidade. Mas funciona para compartilhar no YouTube ou Facebook.

b) Problemas de Wi-Fi. A câmera é controlada de um aplicativo de smartphone via conexão Wi-Fi. Eu não sei se isso foi algo específico para a minha câmera, mas em algumas ocasiões a conexão Wi-Fi não funcionou e eu tive que começar a gravar manualmente.

1. Não tem uma única lente

Ao contrário das câmeras tradicionais, a Ricoh Theta S tem duas lentes: uma na frente e outra na parte de trás. A fim de obter uma visão completa de 360 graus, a câmera precisa de mais do que uma lente. Basta apontar a câmera para qualquer direção e irá capturar as pessoas ao redor, objetos ou espaço. Tudo que você precisa fazer é mantê-la estável e gravar.

No entanto, usar múltiplas lentes pode criar problemas de iluminação. Dependendo do local, a quantidade de luz sobre uma lente pode ser diferente da luz da outra, fazendo com que apareça diferenças de cor significativas.

Ricoh Theta S tem duas lentes direcionadas a duas direções diferentes. Veja como a quantidade de luz da esquerda é um pouco maior do que da direita.

2. Não existe por trás da câmera

"Por trás da câmera" é um termo muito comum na indústria do entretenimento visual. Refere-se a qualquer pessoa envolvida ativamente na produção. Mas, com a visão de 360 graus, não existe essa coisa chamada de "por trás das câmeras". Tudo ao seu redor está dentro da câmera, incluindo você.

Se você estiver segurando a câmera, certifique-se de não fazer uma expressão estranha, a menos que pretenda fazê-lo.

Se não quer estar na cena, então você tem que se esconder atrás de um objeto e controlar remotamente a câmera à distância. Neste caso, certifique-se de manter sua câmera bem protegida contra quedas ou danos.

Com isso em mente, há uma questão ética interessante. E se as pessoas ao nosso redor não querem ser vistas na câmera? Com as câmeras tradicionais você pode simplesmente apontar a câmera para outro lugar. Mas com a câmera de 360 graus isso não é possível, a menos que a pessoa não esteja próxima.

3. Não há necessidade de fazer uma panorâmica ou inclinar a câmera

Como a câmera de 360 graus filma tudo na cena, você não precisa movimentar horizontalmente e verticalmente como nas câmeras tradicionais. Isso pode ser difícil no início, mas você deve se acostumar com isso em breve. Evite movimentos desnecessários que irão causar tonturas para o público.

4. Fique dentro da ação

As câmeras de 360 graus têm lentes angulares grandes. Essas lentes ampliam a distância entre objetos, permitindo uma maior profundidade de campo. Como resultado, se você estiver muito perto do objeto, ele vai aparecer distorcido. Se você está muito longe, então a sua área de foco será muito grande e os objetos serão indistinguíveis; vai perder a emoção dentro da cena.

Acho que a melhor coisa a fazer é ficar dentro da ação onde os espectadores podem sentir-se imersos de uma maneira natural. Encontre o ponto ideal, dependendo da ação de sua história. Não muito perto, não muito longe. Não muito baixo, não muito alto. Seja os olhos dos espectadores. Leve-os para lugares, momentos e eventos para experimentar as coisas que eles não podem experimentar de outras maneiras. Faça um vídeo excepcional.

5. É como filmar uma cena de teatro

Esqueça a configuração da câmera tradicional, a visão de 360 graus implica vários desafios para os produtores. Você precisa desenvolver uma mentalidade diferente e pensar fora da caixa.

Como a câmera pode gravar tudo em volta, tudo entre o chão e o teto (ou a terra e o céu) deve ser apresentável e atraente para o espectador.

Você pode posicionar a câmera como o centro da ação e deixar que as personagens reajam para os telespectadores, como se fossem parte da história. Ou a câmera pode ser usada como em um documentário e posicionar os espectadores como um observador externo -- ou como "uma mosca na parede".

6. Continue a experimentar, mas tenha em mente: "Será que realmente precisamos disto?"

Todos nós sabemos que os vídeos de realidade virtual e 360 graus são "a febre do momento". Brincar e experimentar são vitais para a inovação. Mas tente resolver algumas questões fundamentais antes de começar:

"Qual é o seu objetivo?", "Você realmente precisa fazer um vídeo de 360 graus?", "O que você quer alcançar?", "Você pode alcançar os mesmos resultados, usando uma câmera tradicional ou mesmo um smartphone?","Qual é o propósito?".

Responder a essas perguntas antes de tomar qualquer ação irá ajudá-lo a planejar melhor o seu trabalho e avaliar o resultado.

Deniz Ergürel é fundador e editor-chefe do Haptic.al. Siga-o no Twitter @denizergurel

A versão original deste post foi publicada no Haptic.al e aparece na IJNet com permissão.

Fotos cortesia de Deniz Ergürel