4 passos simples para disputar notícias falsas

porLaura Hazard Owen
May 29, 2017 em Fact-checking e verificação

O fluxo crescente de reportagens e dados sobre notícias falsas, desinformação, conteúdo partidário e literacia de notícias é difícil de acompanhar. Este resumo semanal oferece os destaques sobre o que você pode ter perdido.

Os quatro elementos-chave de um artigo viral de notícia falsa.

  1. Apelo emocional.
  2. Aparência de autoridade: a história se refere a um vazamento ou declaração ou algo que supostamente aconteceu.
  3. Ponto de inserção eficaz no espaço online.
  4. Uma rede de amplificação (como Twitter ou Facebook).

Um artigo de notícia falsa bem sucedido tem essas quatro características, disse Ben Nimmo, bolsista de defesa da informação do Atlantic Council, na quinta-feira.

Organizações que querem disputar notícias falsas precisam considerar qual desses quatro elementos de um artigo falso é "o elo fraco na cadeia" e atacar lá, disse Nimmo. "Por exemplo, viu o caso desta história sobre a eleição francesa, mas que foi postada online por um agente da direita alternativa nos EUA?"

Nimmo estava falando de uma teleconferência sobre a eleição francesa hospedada pelo Factual Democracy Project e MisinfoCon. Claire Wardle do First Draft News, que ajudou a supervisionar um grande esforço francês de verificação de fatos durante as eleições, participou da teleconferência. "Vimos muito poucas 'notícias falsas' no sentido tradicional de 100 por cento de conteúdo de texto fabricado", disse Wardle. "Vimos muitas imagens e visuais manipulados que eu acho que, ao longo do tempo, tiveram um efeito gradual. Os exemplos anti-Macron e anti-imigrantes que eram mais fáceis de acreditar migraram para o 'mainstream' relativamente rápido."

Algumas coisas "realmente desagradáveis", entretanto, não chegaram tão longe além dos grupos de nichos, sugerindo que conteúdos falsos que são extremos não se espalharão. Wardle apontou para um recente artigo no BuzzFeed sobre a "psicologia do que funciona" com notícias falsas.

A equipe de Wardle agora está trabalhando para treinar jornalistas alemães antes da eleição presidencial alemã neste outono. "Há uma percepção entre os editores alemães que na Alemanha eles não têm um problema de notícias falsas, que os alemães são muito educados para serem enganados", disse ela. "Mas nos grupos de extrema-direita no Facebook, estamos vendo coisas realmente anti-Merkel e anti-imigração. Há a sensação de que não está se espalhando  apenas porque os jornalistas não estão vendo isso em seus feeds. Mas isso existe, e quando eles conseguem formular a mensagem da maneira certa, as sementes estão lá para que ela seja transmitida muito rapidamente."

Assine este boletim informativo sobre o alt-right [grupos de extrema-direita alternativa]. Eu mencionei que esta teleconferência foi organizada pelo Factual Democracy Project, que ainda não tem website, mas se descreve como

uma organização emergente para lidar com campanhas de influência propagadas pela coalizão de alt-right e atores estrangeiros que ameaçam desestabilizar as democracias liberais. Nosso objetivo é desarmar o flagelo da falsa notícia, desinformação e propaganda, reunindo os setores de tecnologia, mídia, segurança nacional e sociedade civil por meio de reuniões, treinamento e orientação estratégica.

Os cofundadores do projeto são Melissa Ryan e Jennifer Fiore. Assine seu boletim semanal sobre como o alt-right trabalha online, Ctrl Alt Right Delete. (Outros boletins cobrindo temas similares incluem newsletters Right Richter de Will Sommer e Infowarzel de Charlie Warzel.)

As muitas facetas de um botnet russo. Nimmo do Atlantic Council examina como um botnet russo opera no Twitter — e o que acontece se você é um jornalista americano cujo tuite misteriosamente é pego [e retuitado por bots russos]. 

"Um tipo de estudo de caso de como e por que a notícia falsa perdura". Se você não ouviu o episódio de quinta-feira do The Daily de Michael Barbaro, precisar ouvir: É um estudo de caso interessante de como uma notícia falsa -- neste caso, as teorias de conspiração que cercam o assassinato de Seth Richer, membro da equipe do DNC [Comitê Nacional Democrata] -- começou há quase um ano e reapareceu na semana passada. Falando como alguém que tinha evitado a saga Rich completamente porque pensar sobre isso era confuso e irritante, achei [o programa] uma cartilha útil sobre como notícias falsas se espalham. A Fox News deu o passo raro esta semana de retrair uma notícia alegando que investigadores federais estavam olhando para o caso. No entanto, o âncora da Fox News, Sean Hannity, não reconsiderou seus muitos pensamentos sobre o assunto, e algumas empresas estão tirando seus anúncios do programa dele.

Este artigo foi publicado originalmente no Nieman Lab e é reproduzido e traduzido com permissão. 

Imagem principal sob licença CC no Flickr via Dithedy