Idiomas

Iniciativa liderada por mulheres verifica informações sobre eleições colombianas no WhatsApp

TEMA: 

Iniciativa liderada por mulheres verifica informações sobre eleições colombianas no WhatsApp

Depois que os resultados das eleições presidenciais de maio forçaram um segundo turno, os colombianos foram às urnas no domingo, 17 de junho, para escolher entre os dois candidatos que chegaram ao segundo turno: Iván Duque, do Partido Centro Democrático (de direita), e Gustavo Petro, do esquerdista Movimiento Colombia Humana.

Em uma eleição mais polarizada do que a primeira, enquanto dados não verificados e notícias falsas são difundidos, encontrar informações confiáveis ​​para tomar uma decisão pode ser um desafio para os eleitores.

Com o objetivo de fornecer informações corretas e contribuir para o debate eleitoral, a Chicas Poderosas Colômbia lançou El Poder de Elegir, um projeto digital de verificação de fatos. Elas estão de olho em um dos canais de comunicação mais utilizados pelos colombianos: o WhatsApp.

O projeto começou como um experimento destinado a descobrir “como checar e verificar as mensagens no WhatsApp de forma colaborativa e descentralizada, com mais mulheres líderes e uma perspectiva de gênero”, diz Lia Valero, jornalista e membro das Chicas Poderosas, uma comunidade que promove a liderança das mulheres nos meios digitais em toda a América Latina, Portugal e Estados Unidos.

Com o objetivo de fornecer a jornalistas e designers ferramentas para checar e cobrir as eleições, as Chicas Poderosas organizaram uma oficina de três dias na Colômbia com o apoio da OXFAM. O workshop reuniu 40 mulheres de diferentes partes do país.

“No terceiro dia de trabalho, surgiu uma ideia para criar uma iniciativa colaborativa de verificação de fatos. Uma equipe foi criada [incluindo jornalistas e designers]”, diz Lia. “A metodologia foi decidida e começamos a elaborar o processo e o fluxo de trabalho.”

El Poder de Elegir aborda o problema da manipulação dos eleitores através da desinformação. Ao verificar as informações eleitorais virais e divulgar suas verificações, elas tentam dissuadir os colombianos de basear sua decisão em informações que não são factuais.

O projeto também foi uma resposta à campanha de desinformação que tentou manipular os eleitores antes do referendo sobre os acordos de paz. Agora, quando o país está decidindo seu primeiro presidente após o fim de mais de cinco décadas de guerra, as riscos são grandes.

O Facebook recebeu muita atenção por seu papel na disseminação de desinformação e na disseminação de dados que foram usados ​​para manipular os eleitores. No entanto, o WhatsApp, uma plataforma de propriedade do Facebook, foi deixado de lado. O WhatsApp é usado diariamente por um bilhão de pessoas, mas continua sendo parte do dark social, ou seja, as trocas não podem ser medidas por programas de análise da web e os conteúdos que circulam não podem ser rastreados: o que cria um ambiente perfeito para espalhar rumores e desinformação.

A equipe do El Poder de Elegir pede que os usuários enviem mensagens do WhatsApp com memes, imagens e textos referentes às eleições que querem verificadas. Posteriormente, os usuários são solicitados a compartilhar as informações verificadas com o mesmo grupo ou pessoa que enviou as informações em primeiro lugar. Desta forma, os usuários têm um papel na construção de informações factuais e sua disseminação. A equipe também usa as mídias sociais, principalmente o Instagram, para divulgar suas mensagens.

El Poder de Elegir em parceria com outras organizações, que incluem o Colombia Check e Chequeado da Argentina para configurar sua metodologia e consultar durante todo o processo, a plataforma Check da Meedan em espanhol para organizar e mostrar o processo de cada investigação para que qualquer um possa replicá-lo e a Open Society para apoio financeiro.

"Tem sido uma parte fundamental do processo: aprender com aqueles que têm experiência e não reinventar a roda", diz Lia, acrescentando que isso permitiu que elas avançassem mais rapidamente com o projeto.

O design foi o elemento central na tentativa de tornar o conteúdo verificado tão viral quanto o original e como uma forma de se diferenciar de outros conteúdos que espalham rumores e notícias falsas.

“O design e a comunicação têm sido uma parte fundamental do projeto, uma vez que uma de nossas propostas de inovação está centrada em novas formas de mostrar informações verificadas”, diz a designer do projeto e membro das Chicas Poderosas, Eliana Vaca.

Eliana e sua equipe optaram por apresentar verificações por meio de GIFs que incluem memes populares, tornando mais fácil e rápido a leitura, e apelando ao humor, inteligência e um design simples, para tornar mais provável que a divulgação.

Elas estão implementando a mesma lógica daqueles que criam a desinformação viral, na tentativa de abordar esse mesmo público.

A equipe do El Poder de Elegir também optou por usar cores no tom pastel. "Decidimos que deveria ser feminina", explica Lia, "já que essas cores raramente são usadas em tópicos políticos."

Após menos de um ano de trabalho, a equipe conseguiu estabelecer uma metodologia e processos sólidos que permitiram que jornalistas e designers trabalhassem remotamente, o que seria a chave para ampliar o projeto e replicá-lo na Venezuela, México, Brasil, e possivelmente no Peru para as eleições presidenciais, com o apoio dos capítulos locais das Chicas Poderosas. Elas também estão compartilhando sua experiência com qualquer pessoa que possa estar interessada.

Informação é poder. Mesmo informação falsa. Este projeto visa ajudar as pessoas a reivindicarem seu poder de escolha: uma corrente no WhatsApp por vez.

Imagem sob licença CC no Wikipedia via Rama 

Tags: 

PUBLIQUE UM COMENTÁRIO

Plain text

  • Nenhuma tag HTML permitida.
  • Twitter message links are opened in new windows and rel="nofollow" is added.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são feitos automaticamente.
Please log in or register in order to comment this post.