Idiomas

Fact-checking ao redor do mundo: Chequeado na Argentina

TEMA: 

Fact-checking ao redor do mundo: Chequeado na Argentina

Clothilde Goujard | 26/02/18

Esta é a primeira parte da nossa série, "Fact-Checking ao redor do Mundo", que destaca organizações que lutam contra a desinformação em todo o mundo.

O site Chequeado tem uma pequena equipe de oito jornalistas em tempo integral e oito jornalistas em meio período, mas a organização argentina sem fins lucrativos de verificação de fatos tornou-se líder global na luta contra a desinformação.

A organização foi criada em 2010 por um químico, um economista e um físico que estavam insatisfeitos com a mídia tradicional e preocupados com a política pública do país.

"Quando nascemos, nosso sistema político estava realmente polarizado e o ex-governo lutava abertamente com a mídia privada no país", disse Laura Zommer, diretora executiva e jornalística do Chequeado. "Cidadãos e leitores estavam no meio dessa luta."

A missão do Chequeado era clara: melhorar a qualidade do debate público, fornecendo dados abertos e evidências para melhor informar os cidadãos.

Nos últimos oito anos, a organização se expandiu e agora está treinando jornalistas de toda a América Latina. Foca em três pólos: mídia, educação e inovação. Mas as equipes trabalham juntas em um escritório de espaço aberto em Buenos Aires.

A cada semana, todos se reúnem por duas horas para discutir projetos em andamento e novas ideias.

Laura disse que o sucesso de sua organização é resultado da abordagem de projetos. Sempre se perguntam se outra mídia já fez o mesmo projeto e se eles seriam a organização com as melhores habilidades para ir em frente.

"Nós tentamos não repetir coisas que as pessoas já estão fazendo mais ou menos bem. Estamos sempre pensando, "como podemos ser diferentes?", disse Laura.

Dentro da organização, se um jornalista tem uma ideia que combinaria melhor com a habilidade de um colega, a ideia é compartilhada.

"A outra coisa crucial para nós é que somos uma equipe. Não há estrelas. A estrela é o Chequeado", disse Laura. "Estamos tentando ter mais impacto como organização e não pessoalmente."

Para Laura, é particularmente importante que o Chequeado alcance pessoas que não consomem mídia tradicional e notícias políticas e econômicas.

"A razão pela qual precisamos chegar a essas pessoas é que pesquisas mostram que a verificação de fatos é muito mais eficiente e tem mais impacto em pessoas que não têm posições políticas fortes", disse ela.

Para fazer isso, ela disse que o Chequeado adota a abordagem oposta da maioria dos meios de comunicação tradicionais. Durante décadas, a mídia apresentou investigações de forma formal para demonstrar sua credibilidade.

"Nós acreditamos que temos que ser sérios em nossas investigações, mas não sérios na forma como as apresentamos", disse ela, acrescentando que muitas pessoas não leem artigos sobre dados e estatísticas.

"Estamos sempre pensando como podemos alcançar pessoas que não querem ouvir notícias ruins ou informações que no passado eram vistas como chatas."

A equipe está constantemente pensando em novos formatos e métodos para atingir o público.

No ano passado, o Chequeado colocou um jogo de tabuleiro gigante, semelhante ao Jogo do Ganso, em um parque público da cidade de La Plata. O jogo conta a história de sua investigação sobre a falta de progresso das obras públicas da cidade três anos após uma grande inundação.

A mesma ideia foi repetida em outros quatro parques públicos com outras investigações locais.

"As crianças queriam jogar e seus pais tiveram que esperar por eles e [enquanto esperavam] ouviam, e enquanto ouviam, eles se informavam", disse ela.

O Chequeado também é direcionado a adolescentes através de seu programa de educação. Na Argentina, os cidadãos podem votar aos 16 anos. Depois de 18 anos, o voto é obrigatório. Os jornalistas da organização estão estudando especificamente como chegar aos jovens através das redes sociais e linguagens, imagens e formatos que eles conhecem.

Para se manter transparente, a metodologia e o modelo de negócios do Chequeado estão disponíveis em seu site.

No seu programa de jornalismo de investigação recentemente lançado, eles também tentam evitar declarações "off the record", mostram todos os seus dados e explicam como obtêm seus documentos.

Foi importante para Laura lançar um programa de investigação para serem mais proativos como fact-checkers.

"Com a verificação de fato, você apenas analisa questões que já estão no debate e, se não estão, não pode abordá-las", explicou.

Laura disse que o Chequeado está tendo êxito em sua missão. Após a última eleição presidencial argentina em 2015, a organização encomendou uma pesquisa independente para entender melhor o impacto do Chequeado. A maioria dos participantes do estudo disse que o Chequeado atuou como árbitro, fornecendo fatos e contexto durante as eleições.

Com a disseminação de desinformação nas redes sociais, o Chequeado dedicou uma seção de seu website, TV e rádio para desconstruir alegações falsas. No entanto, segundo Laura, é mais importante educar os cidadãos para serem críticos.

"Nós acreditamos que é importante prestar atenção, mas também estamos conscientes de que não vamos frear notícias falsas de nossas redações porque a criação de notícias falsas é mais fácil e rápida do que a verificação", disse ela. "Nós apenas podemos contribuir para criar mais conscientização pública sobre o problema da desinformação."

Imagem sob licença CC no Max Pixel 

Tags: 

PUBLIQUE UM COMENTÁRIO

Plain text

  • Nenhuma tag HTML permitida.
  • Twitter message links are opened in new windows and rel="nofollow" is added.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são feitos automaticamente.
Please log in or register in order to comment this post.