Idioma:

Webb na Web: Reportagem multimídia do Haiti

Após o terremoto em Porto Príncipe, Haiti, meios de comunicação de todo o mundo estão utilizando diferentes abordagens digitais para cobrir os acontecimentos. Várias tecnologias e ferramentas estão sendo usadas para medir a tragédia e contar as histórias terríveis de inúmeras vítimas.

A lista abaixo inclui algumas das melhores coberturas multimídia que eu vi até agora. Estes projetos usam vídeo, cronologias interativas de fatos, visualização de dados e ferramentas das redes sociais de forma criativa. Os seguintes exemplos vêm de meios tradicionais e não tradicionais.

Projetos de mapas

Um meio de notícias na Carolina do Norte, Estados Unidos, publicou um mapa interativo do terremoto no Google Gadget, que permite aos usuários ver os fatos ocorridos no mês passado no Haiti. O U.S. Geological Survey oferece mais detalhes e conteúdo adicional. O LATimes.com está usando Google Maps para suas coberturas e criou um manual interativo do terremoto com Flash. O Ushahidi, um site sobre reportagens de crises, conta com um grande número de mapas do Haiti. Veja também a publicação interativa e gráfica do jornal The Guardian, que explica claramente por quê e como a ajuda não está funcionando bem.

Galeria de fotos

Vários meios de notícias publicaram galerias de fotos que mostram Porto Príncipe antes e depois do terremoto. O NYTimes.com está usando fotos de satélites do GeoEye. O que torna esta apresentação interessante (mas também dilacerante) é o uso eficiente da ferramenta "deslizadora" do Times. A revista Wired Magazine oferece uma galeria comparativa que usa imagens de satélite, que incluem etiquetas geográficas e outra informação.

Vídeo

O programa iReport da CNN tem produzido vários vídeos de qualidade gerados por usuários. Veja esta página que agora dispõe de uma seção para pessoas desaparecidas. Você também pode encontrar vídeos não editados que foram filmados por telefones celulares por pessoas no Haiti. Visite Google Video e faça uma busca rápida digitando “Terremoto no Haiti”. Também há vários meios de comunicação oferecendo vídeos, como por exemplo esta reportagem do Sydney Herald (mas tome cuidado, pois este vídeo contém imagens fortes).

Cronologias e visualização de dados

várias cronologias no Dipity, que é um tipo de gerador automático de cronologias. Embora não tenham sido criados por jornalistas, estes sites cronológicos mostram conteúdo dos meios de comunicação e redes sociais do mundo. O jornal The Guardian oferece análise e visualização de dados em seu DataBlog e apresenta a informação de desastres produzida por satélites.

Mídia social

Este é talvez o melhor momento de fazer buscas no Twitter se você que nunca experimentou este meio. Visite http://search.twitter.com e digite #haiti. Você encontrará uma quantidade enorme de reportagens de campo, esforços de ajuda e recursos publicados em tempo real.

Amy Webb é consultora de mídia digital e presidente da Webbmedia Group, LLC. Leia mais sobre dicas e idéias de multimídia em seu blog (em inglês), http://www.mydigimedia.com. O Webbmedia Group é uma empresa de consumo neutra. Qualquer opinião sobre produtos ou serviços é formada após testes, pesquisas e entrevistas. Nem a Amy Webb,  o Webbmedia Group ou seus empregados recebem qualquer pagamento ou beneficio de seus fornecedores.

Publique um novo comentário