Idioma:

Reply to comment

Cinco maneiras do jornalista cultivar fontes

image:

As fontes de um repórter são suas maiores riquezas. Com o tempo, se você estabelece boas relações com as fontes, verá que elas podem ser a porta de entrada para furos de fazer uma carreira. Veja como cultivá-las.

Renda-se ao papo furado

Muitos repórteres não gostam de ficar de papo, mas algumas palavras amigas podem diferenciá-lo dos outros jornalistas que tratam as fontes, como máquinas de informações automáticas, em vez de seres humanos. Pense na conversa fiada como a maionese no sanduíche de salada de atum da sua reportagem.

Quando você se reconectar com uma fonte com que falou antes, pergunte como vai o dia. Genuinamente ouça o que eles respondem. Preste atenção se eles são casados ​​ou têm filhos, e pergunte ocasionalmente como está sua família (ou mesmo um animal de estimação). Se você tem algo em comum com essa fonte, passe um tempinho conversando sobre o tema, seja esporte ou uma comida favorita...

Mantenha contato

Se você encontrar alguém que acha que vai ser uma mina de ouro de informações, entre em contato regularmente com essa pessoa, mesmo que não precise entrevistá-la. Esse é outro bom momento para conversa fiada e perguntar se houve alguma evolução sobre um tema que já discutiram antes. Dê uma olhada na sua lista de contatos e veja se há alguém com que você não conversa há algum tempo. Telefone para essa pessoa, pois pode ser que tenha dica para você.

Enviar um e-mail é uma boa maneira de dar um toque nas fontes, embora possam relutar em escrever algo mais secreto. Para isso, telefonemas são melhores. Em pessoa é melhor na maioria das vezes, seja a caminho de uma reunião da Câmara Municipal ou para tomar o café regularmente com eles. A chave é ter certeza que eles não se esquecem de você e que se lembram de que você está interessado no que eles sabem...

O que se passa “off the record” fica “off the record”

Nós todos conhecemos jornalistas que dizem que não há nada que seja "off the record", ou que prometem manter as informações de uma fonte em segredo, mas depois citam a notícia no dia seguinte. Não seja esse repórter.

Muitas fontes gostariam de lhe contar mais do que seus superiores hierárquicos permitem. Claro, essa informação pode ser extremamente valiosa, especialmente se você consegue usá-la para fazer com que os fontes "on-the-record" verifiquem o que você ficou sabendo. Se alguém diz que quer falar em "off" com você, diga que sim -- e mantenha isso. (Mas não tenha medo de perguntar: "Existe alguém mais provável de falar sobre isso 'on the record' comigo?")..

Peça para suas fontes recomendarem mais fontes

No final da entrevista, pergunte a sua fonte se há alguém que você deve conversar sobre o tema em questão. É provável que ela tenha alguém em mente.

Fontes dentro de uma administração, uma agência governamental, uma escola ou uma empresa, provavelmente irão recomendar colegas de trabalho, enquanto que cidadãos comuns e ativistas podem conectá-lo com gente parecida. Boas fontes vão ligá-lo a fontes "do outro lado do muro", por assim dizer. Siga os conselhos da sua fonte, mas se estes têm uma certa tendência para proteger, certifique-se de completar as recomendações das fontes com outras vozes.

Evite ficar amigo demais das fontes

Quando você entrevista alguém muitas vezes e escreve sobre essa pessoa regularmente, podem começar a se sentir como amigos. Isso é especialmente verdadeiro se você seguir o resto dessas dicas, porque vai acabar se sentindo mais íntimo deles do que de uma uma fonte comum.

Ficar amigo demais pode prejudicar sua objetividade. Se vocês ficarem amigos, pode acabar dizendo que o lado da história da fonte -- em detrimento dos outros lados. Pode segurar informações importantes para proteger a fonte desnecessariamente... Tenha cuidado em andar na linha certa, pois assim estará no caminho para dar um furo na competição.

Imagem via Morguefile.

Esse é um trecho do artigo integral, disponível (em inglês) aqui.

O artigo foi publicado pela primeira vez no Poynter Online, parceiro da IJNet e o site do Poynter Institute, uma escola que serve o jornalismo e a democracia há mais de 35 anos. O Poynter oferece notícias e treinamento para qualquer agenda, com orientação individual, seminários presenciais, cursos online, webinários e muito mais. O artigo é traduzido pela IJNet com permissão.

Reply