Idiomas

Crowdfunding: 5 dicas para financiar seu projeto jornalístico

Crowdfunding: 5 dicas para financiar seu projeto jornalístico

Gabriela Manuli | 10/04/13

Em tempos de crise e de redefinição no jornalismo e e seus modelos de negócios, o "crowdfunding" (financiamento coletivo ou microfinanças) é uma alternativa para quem deseja lançar seu próprio projeto.

Com o avanço das novas tecnologias, cada vez mais campanhas mostram que é possível investir numa ideia de forma independente, encontrando pessoas para apoiá-la e que estejam dispostas a dar um passo (ou clique) para sua concretização.

Alguns exemplos de projetos financiados coletivamente incluem um mestrado do jornalismo de dados, uma "liga da justiça" para monitorar o equilíbrio de gênero nos meios de comunicação e uma jornalista que conseguiu seu objetivo de angariar US$2.000 para viajar à África e contar a história de um sapo em vias de extinção. The Correspondent, um projeto com sede em Amsterdã, que visa produzir jornalismo de qualidade num site livre de anúncios, rendeu mais de um milhão de euros em apenas oito dias.

Hoje existem muitas opções no mercado para o lançamento de uma campanha de crowdfunding. Os sites mais populares como o IndieGoGo ou Kickstarter oferecem campanhas relacionadas com projetos jornalísticos. Spot.us é especializado em jornalismo financiado pela comunidade e o Emphas.is, ainda em versão beta, é uma página para fotojornalistas em busca de doações.

Danae Ringelmann, fundadora do IndieGoGo, deu dicas sobre como fundar projetos de jornalismo durante uma conferência no United States Institute of Peace, em Washington.

Aqui está um resumo com seus pontos principais:

1. Descreva seu produto autenticamente

É importante apresentar o seu projeto de forma clara. As pessoas valorizam a honestidade, transparência e autenticidade. Estas perguntas básicas são um bom guia:

Quem é você? Não se esqueça de contar a sua história: apresente a sua equipe. Pessoas investem em pessoas, não apenas em ideias.

Por que você está levantando o dinheiro? Procure ser transparente com o orçamento.

Quando vai lançar o projeto? Faça um plano e tente cumpri-lo.

Por que o mundo precisa que sua ideia se concretize? Esta é a hora de mostrar a sua paixão, descrevendo o impacto esperado.

Como as pessoas podem participar? Não se trata apenas de pedir dinheiro, você pode obter ajuda ou voluntariado.

2. Inclua um vídeo pessoal

"As campanhas da IndieGoGo que incluem vídeo coletam 114 por cento a mais do que aquelas que incluem apenas fotos e texto", observou Ringelmann. Não deixe que a falta de equipamento profissional o impeça. Você pode usar seu celular e editar o vídeo de forma caseira.

Sua mensagem deve ser concisa e atraente para capturar a atenção do público. É mais aconselhável contar a história usando imagens em até cinco minutos. Atreva-se a aparecer diante das câmeras: "Falar diretamente com seu público torna [o projeto] mais pessoal e dá uma cara para a campanha", acrescentou.

3. Ofereça vantagens originais e criativas

A ideia deste tipo de financiamento é apelar para a paixão comum para apoiar causas, envolvendo pessoas interessadas em seu projeto. "Se em troca podem obter um sinal do seu apreço, muito melhor. É a lei da reciprocidade", explicou Ringelmann.

O que você pode oferecer a seus doadores que ninguém mais pode? Criatividade é importante. Você está preparando um livro ou uma revista? Pode fornecer acesso ao material antes de qualquer outra pessoa, compartilhando segredos do processo ou uma edição limitada. Outras ideias incluem festas para os doadores, aulas e capacitação ou descontos.

Os números indicam que a maioria das pessoas tende a doar U$25, portanto Ringelmann recomendou estabelecer uma boa recompensa nesta faixa de dinheiro. Ao montar uma "lista de brindes" ofereça idealmente entre cinco a oito benefícios diferentes, dependendo do valor doado.

4. Defina uma meta realista

Uma das decisões mais difíceis é decidir o valor total a ser recolhido. Ringelmann disse que entre 20 e 30 por cento de seu objetivo deve ser alcançado no própria rede de amigos e familiares. E, por outro lado, ao atingir 10 por cento do total, a probabilidade de uma campanha chegar ao objetivo quadruplica.

Com esses números em mente, você deve estabelecer uma meta realista. Como o velho ditado "Mais vale um pássaro na mão do que dois voando", uma opção é ir devagar, dividindo sua campanha em estágios diferentes.

5. Comunique sua campanha de forma proativa

Não se esqueça de compartilhar a sua campanha com amigos e familiares via e-mail e redes sociais. A medida que você vai divulgando e expandindo este círculo, pode enviar atualizações aos doadores. "Trate sua campanha como um blog e tente envolver a comunidade. O melhor é entrar em contato com eles uma ou duas vezes por semana com atualizações: novos benefícios, o progresso da campanha, novos conteúdos ou aparições na mídia. Você também pode pedir para compartilharem a sua campanha". Seus doadores precisam se sentir parte de uma comunidade exclusiva.

Finalmente, não se esqueça de investigar o que está acontecendo nessas plataformas. Encontre histórias de sucesso e aprenda com elas.

Imagem usada com licença CC, cortesia de Tax Credits no Flickr

@gabimanuli

Gabriela Manuli é uma jornalista freelance argentina. Ela colaborou para publicações como Diario Perfil (Argentina), El Mundo (Espanha) e Orsai Revista, entre outras. Ela fez mestrado em políticas públicas e mídia na Central European University e bacharelado em comunicação pela Universidade de Buenos Aires.

Tags: 

PUBLIQUE UM COMENTÁRIO

Plain text

  • Nenhuma tag HTML permitida.
  • Twitter message links are opened in new windows and rel="nofollow" is added.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são feitos automaticamente.
Please log in or register in order to comment this post.